Publicidade
Terça-Feira, 18 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Veleiro projetado pela UFSC ficará pronto no começo de setembro

A embarcação de expedições e pesquisas oceanográficas começou a ser elaborado em 2012

Redação ND
Florianópolis
06/09/2017 às 09H32

O veleiro ECO, primeira embarcação de expedições e pesquisas oceanográficas do Brasil ficará pronto no começo de setembro. O veleiro foi projetado e construído pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), única universidade do país a participar de uma pesquisa semelhante. O projeto começou em 2012 e deve ser lançado em em outubro de 2017 na Marina de Itajaí com destino às Ilhas de Trindade e São Pedro e São Paulo, que pertencem aos Estados do Espírito Santo e Pernambuco, respectivamente. 

Veleiro foi projetado para expedições e pode receber até 10 pessoas - Veleiro Eco/UFSC/Divulgação/ND
Veleiro foi projetado para expedições e pode receber até 10 pessoas - Veleiro Eco/UFSC/Divulgação/ND



A embarcação é toda projetada para a excelência das pesquisas, sendo que em cada expedição a equipe de pesquisadores que estará a bordo terá um laboratório disponível para que as primeiras análises sejam feitas. Com 60 pés e 5,3 metros de largura, o veleiro é feito de alumínio naval  – 5083 H116, soldado com tecnologia TIG e MIG de última geração, sendo grande parte por métodos automáticos. Terá capacidade de receber até dez pessoas, entre pesquisadores e tripulantes.

Possui características de segurança e navegabilidade, permitindo expedições científicas de grande porte, incluindo polares. A quilha retrátil permitirá ainda a navegação em águas rasas de mangues e estuários de rios, áreas poucos exploradas pelas ciências nacional e internacional. 

Neste sentido, encontra-se em elaboração um convênio com a Comunidade Econômica Europeia, liderado pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Educação Superior de Portugal e MCTIC do Brasil, para o desenvolvimento de projetos focados nos problemas relacionados a mudanças climáticas e ao lixo no Oceano Atlântico. Com esse foco está em formação uma rede de pesquisa cuja governança está centrada no Centro de Pesquisa dos Açores, denominado AIR (Atlantic Interactions Research). Representantes de Portugal estiveram recentemente no Brasil para conhecer o projeto e firmar parcerias no intuito da promoção das pesquisas. 

 

Mudanças climáticas

O veleiro ECO ampliará a pesquisa marítima brasileira, incluindo soluções em robótica, estudos sobre as mudanças climáticas no oceano, tecnologias na área de óleo e gás, monitoramento e apoio à exploração sustentável da biodiversidade e contribuições para a preservação da nossa Amazônia Azul. Todo o trabalho de campo será realizado a bordo do veleiro com uma equipe de pesquisadores de universidades nacionais e internacionais, das áreas de Oceanografia, Biologia, Ecologia e Engenharia.

As expedições passarão por importantes ecossistemas marinhos brasileiros como estuários, ressurgências, recifes de corais, unidades de conservação, ilhas oceânicas, entre outros. 

Construção no Sapiens Parque

A embarcação está sendo construída nas instalações do Instituto do Petróleo, Gás e Energia – INPETRO/UFSC, no Sapiens Parque, uma grande área de organizações voltadas à inovação e tecnologia em Florianópolis.

O projeto, concebido e coordenado pelo professor Orestes Alarcon, tem recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade