Publicidade
Domingo, 16 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

Usuários substituem aplicativos de conversas durante bloqueio do WhatsApp

O presidente executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que "é um dia triste para o país"

Redação ND
Florianópolis

Após a determinação da Justiça de São Paulo em bloquear o serviço de mensagens WhatsApp em todo o Brasil por 24h, a partir da 0h desta quinta-feira (17), usuários das redes sociais começaram a se mobilizar na busca por alternativas semelhantes para manter as conversas on-line, seja em família, amigos ou a trabalho.

Divulgação/Flickr/ND
Usuários reclamam da interrupção do serviço

 

Pelo menos cinco opções aparecem entre as citadas pelos usuários. Confira cada uma delas:

Messenger do Facebook: pode ser uma das alternativas mais fáceis e práticas, já que a proporção de usuários que faz parte da rede social é grande no Brasil. Pelo aplicativo, é possível enviar fotos, vídeos, além de textos.

Viber: faz chamadas de vídeo ou de voz, além de enviar imagens. Segundo a loja Google Play, há mais de 606 milhões de usuários do Vibe do mundo.

Skype: com mais de 250 milhões de pessoas  ativas no mundo, o aplicativo faz ligações de voz e vídeo à distância, além de enviar mensagens de texto.

Telegram: assim como o WhatsApp, pode ser utilizado para enviar mensagens, fotos, vídeos e arquivos de qualquer tipo. Também pode ser utilizado em computadores, tablets e telefones.

ZapZap: utiliza o API (Interface de Programação de Aplicativos) do Telegram, traduzido em português. Também é usado para mensagens instantâneas de textos e imagens.

 

Mark Zuckerberg se pronuncia sobre o bloqueio do WhatsApp

Em sua rede social, o cofundador e presidente executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, comentou nesta quinta-feira (17) o bloqueio do WhatsApp no Brasil. Ele disse que a ferramenta tem mais 100milhões de usuários no Brasil e que “este é um dia triste para o país”. “Estamos trabalhando duro para reverter essa situação. Até lá, o Messenger do Facebook continua ativo e pode ser usado para troca de mensagens”, afirmou.

“Estou chocado que nossos esforços em proteger dados pessoais poderiam resultar na punição de todos os usuários brasileiros do WhatsApp pela decisão extrema de um único juiz. Esperamos que a justiça brasileira reverta rapidamente essa decisão”, complementou.

O Facebook comprou o WhatsApp em fevereiro de 2014. A imposição do bloqueio ao aplicativo foi aplicada por meio de uma medida cautelar nesta quarta-feira (16), mas o autor da ação não foi divulgado. O processo corre em segredo de justiça. 

 

Reprodução/Facebook
Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade