Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Rancho Queimado: cidade da Grande Florianópolis é destino aconchegante para o inverno

Em Rancho Queimado, distante 70 quilômetros da Capital, o turista encontra desde o frio até paisagens de tirar o fôlego, além do carinho dos moradores locais

Brunela Maria
Rancho Queimado
16/06/2017 às 17H03

Sentado à mesa, depois de um almoço com comidas típicas das culinárias alemã e italiana e verduras frescas colhidas na horta de orgânicos da Pousada Pinheiral, em Rancho Queimado, o casal Maiara Lohn de Farias, 23, e Everton de Souza, 28, não para de admirar os campos e a movimentação dos animais da propriedade. Por lá o silêncio só é quebrado pelo barulho do vento, que anuncia o inverno e faz os hospedes esquecerem da rotina na cidade. Os namorados resolveram aproveitar o feriadão para descansar e não precisaram ir muito longe para encontrar o lugar ideal, com chalés que inspiram o romantismo, verde a perder de vista, flores, lagos e aquele friozinho que pede uma lareira e um cobertor.

Mariana e Everton aproveitaram para descansar em Rancho Queimado - Daniel Queiroz/ND
Mariana e Everton aproveitaram para descansar em Rancho Queimado - Daniel Queiroz/ND

>> Veja mais fotos na galeria de imagens no fim da matéria

Mariana e Everton ficaram encantados com a pousada e com as belezas da região de Rancho Queimado, que ao longo dos anos vem se consolidando como cidade turística, recebendo visitantes praticamente o ano todo. Mariana até conseguiu se desconectar das redes sociais. “Nos dóis queríamos achar uma hospedagem nesse estilo, no interior mesmo, até para desintoxicar das tecnologias. Sou viciada em redes sociais e aqui já nem liguei meu aparelho. Estou surpresa comigo”, comenta.

Abraçados na ponte de madeira construída entre os açudes da pousada os namorados trocaram juras de amor. “Estamos adorando aqui, precisávamos disso. Agora é curtir esse clima e esse friozinho”, relata Souza. Construída há 13 anos, a pousada recebe nos feriados e finais de semana dezenas de turistas, principalmente da Grande Florianópolis.

Encanto começa na estrada

Já na chegada à pousada, o visitante se deslumbra. O acesso à propriedade de 80 hectares começa no km 71 da BR-282. A estrada é de chão batido e a descida proporciona um visual deslumbrante, com campos e florestas.

Segundo a proprietária, Ivete Coelho, 63, o diferencial do estabelecimento é a comida típica, acompanhada do aconchego das acomodações. “As cabanas de madeira são aconchegantes e completas. Todas possuem uma pequena e charmosa lareira para esquentar nas noites frias”, comenta.

No caminho há ainda um riacho de água cristalina, de onde se percebe o som de uma cachoeira. As hortênsias, flores da região, às margens da estrada, também enfeitam o percurso até a propriedade. No terreno, a entrada de flores e uma imponente residência chamam atenção. De um lado o lago e seis chalés de madeira. Do outro, outros cinco. Embora simples, o charme e privilégio das lareiras nos quartos está entre as atrações. Para o casal com três refeições inclusas o preço da diária, em média, é R$ 350. A pousada dispõe de passeios a cavalo, sala de jogos, cachoeira e trilhas ecológicas.

Visitantes em busca de descanso

Caminho para a Serra Catarinense, o município de Rancho Queimado, há 70 km de Florianópolis, recebe o maior volume de turistas nessa época do ano. O centro da cidade tem pouco mais de 2 mil habitantes e já respira o turismo 24 horas por dia. Em feriadões como o de Corpus Christi, as pousadas e hotéis costumam ficar lotados. A maioria dos visitantes está à procura de descanso.

De Pomerode, no Vale do Itajaí, o engenheiro Martín Brandi, 53, trouxe os três filhos, Max, Benjamin e Oliver Brandi para curtir o feriadão. O destino foi a namorada, Josiane Alves, 47, moradora de Itajaí, que escolheu. “Procuramos no estilo fazenda para comemorar o aniversário do Max que faz 8 anos neste domingo e encontrei a pousada. Já adoramos pelo clima daqui as refeições são deliciosas e os chalés valem a viagem”, comenta.

As charretes, os cavalos e os passeios no campo também são atração no Hotel Fazenda Águas Claras. A estrutura inclui lagos com pedalinho, trilhas, açudes para pescar ou alimentar peixes, sala de jogos e piscinas térmicas. O proprietário, Manuel Gil Rimbau Júnior, recebe turistas o ano inteiro, mas a maior procura é no inverno. “A estrutura que oferecemos também e atrativa no verão. Mas para o inverno temos piscina aquecida, sauna, comidas típicas, cavalgadas e salas de jogos”, comenta.

As acomodações com suítes simples e com banheira de hidromassagem para casais variam entre R$580 à R$ 720 incluindo 4 refeições ao dia. O valor para crianças de 6 a 12 anos é R$ 140. O hotel fica na Estrada Geral de Anitápolis, no km 7.

O charme de Taquaras 

A menos de dez quilômetros do centro de Rancho Queimado, Taquaras, onde acontece todos os anos a Festa do Morango, pode ser chamado de pedação do céu dentro do paraíso. Por lá, além da natureza, o homem fez a sua parte. E é quase impossível passar por lá sem se perder nos sabores da culinária ou se dividir entre o chope e o vinho.

Em Taquaras podemos encontrar até um pouco da história de Santa Catarina. É lá que fica a casa de campo do governador Hercílio Luz. A construção é do início do século 20 e apresenta características germânicas. Em 1911, o então governador de Santa Catarina Hercílio Pedro da Luz, adquiriu a edificação para utilizá-la como residência de lazer e repouso, em função do clima e altitude amenos na região.  O atual conjunto é um dos pontos mais visitados pelos turistas que passam pela região. A visitação é permitida de de terça à domingos.

Outro ponto turístico é o posto de combustíveis de Teófilo Schütz. No local, a construção e o modelo antigo chamam atenção de quem passa pela comunidade. Mas, antes de chegar lá, os turistas param na Cascata Trisâmya. A visitante Yasmin da Silva, de São Paulo (SP), aproveitou a paisagem para registrar uma foto junto com a família. “Muito linda a região, é minha primeira vez por aqui e estou apaixonada”, conta.

A gaúcha Eliane Ritzel, 56, de Gravataí (RS), que mora na Capital, disse que o passeio vale a pena e surpreende quem já acha maravilhoso o litoral do Estado. “Estou adorando porque é um passeio diferente do que temos no litoral. Resolvi tirar o dia aqui, já almoçamos e vamos tomar um café colonial também”, comenta.

Do germânio ao sabor tropeiro da Serra

No distrito de Taquaras, em frente ao pavilhão da Festa do Morango, encontra-se o Galpão Tropeiro, um dos restaurantes mais visitados pelos turistas da região. No local, além de história da família Schutz, os turistas poderão saborear pratos típicos que misturam a culinária alemã ao sabor da Serra Catarinense. A decoração do ambiente ainda é cum capítulo à parte. É como um museu onde os saudosos podem relembrar as primeiras tecnologias adotadas na região.

O teto é repleto de canecas promocionais, daquelas distribuías em bailes de chope, bastante comuns no interior. O tamanho da coleção chama a atenção. Enquanto no fogão à lenha estão panelas de ferro com sabores tropeiros, ao fundo encontramos artesanatos, licores e geleias. Na entrada do restaurante há um fogo de chão, rodeado por chaleiras antigas e uma linha do tempo da família alemã. Objetos como uma vitrola de 1968, discos, máquina de costura e itens antigos, também foram colocados no cantinho especial.

Assim como a gastronomia e a história, a simpatia do proprietário, Marcelo Schutz, também é uma atração. Irreverente, ele aborda os clientes como se fossem amigos de longa data. “Eu não vendo apenas comida, vendo histórias e alegria”, garante. Com sua simplicidade ele vai envolvendo todos os visitantes, mas é no fogão que a magia acontece.  

 “Isso era um galpão de beneficiamento de madeira feito pelo meu avô. Depois resolvemos abrir e fazer uma homenagem para família e por fim virou restaurante há 17 anos. Buscamos oferecer uma culinária da região e então nosso foco é comida tropeira”, salienta. Por mês, o galpão chega a receber até 700 clientes. Com preço médio de R$ 35 no buffet livre, o estabelecimento funciona aos finais de semana.

Os casais de amigos, Maicon Junckes, 27 e Maiara Junckes, 27 de Palhoça e Elton Prim, 33, e Tathyany Prim, 38,  vindos de Santo Amaro da Imperatriz, não perderam tempo. De todas as delícias nas panelas de ferro, foi a paçoca de pinhão que eles mais gostaram. “Um tempero diferente, bem típico mesmo. Não conhecia aqui e adorei”, relata Maiara. Depois, o grupo aproveitou para descansar perto do fogo de chão. “Ambiente agradável, vale muito a visita. Quem passar por aqui precisa conhecer esse restaurante é muito bom”, salienta Elton.

 

SERVIÇOS

Pousada Pinheiral

Estrada Geral Pinheiral – Km 71 BR-282

Informações e Reservas: (48) 3275.1212 - 9982-4971

 

Hotel Fazenda Águas Claras

Estrada Geral de Anitápolis, km 7

Informações: (48) 9989.0009 – 8806.6062

 

Pousada Estação da Natureza

Estrada Geral Morro Chato

Fone: (48) 3275.0191 – 8413.1883

 

Hotel e Restaurante do Tuti

Praça Leonardo Sell – Centro

Informações: (48) 3275.0149

 

Restaurante Galpão Tropeiro

Estrada Geral Taquaras

Informações: (48) 3275-1163 / (48)9 9962-5970

 

Café Colonial Schmitz

BR 282, km 55

Informações: (48) 3275.0042

 

Café Colonial Kaffeehaus

Rua Matias Augusto Schwabe, 100 – Centro

Informações: (48) 3275-0400

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade