Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Travessia Ilha do Campeche atrai centenas de nadadores ao Sul da Ilha, em Florianópolis

Dupla vencedora da edição anterior repete bons resultados e leva bicampeonato

Gustavo Bruning
Florianópolis
11/03/2017 às 17H50

Após mais de duas décadas sem nadar, a jornalista Juliana Germann, de 43 anos, redescobriu a paixão pelo esporte na manhã deste sábado (11), durante a 25ª edição da Travessia Ilha do Campeche. Natural de Florianópolis, a atleta já havia conquistado 17 medalhas de ouro nos JASC (Jogos Abertos de Santa Catarina) quando decidiu se afastar das piscinas e do mar, em 1995.

“Eu fiquei de saco cheio. Não podia nem sentir mais o cheiro do cloro”, afirma. Depois de percorrer o trajeto de 1.500 metros entre a Ilha e a Praia do Campeche, no entanto, Juliana viu na sua reestreia no nado uma experiência inédita. “Pela primeira vez na vida eu nadei simplesmente por prazer. Agora eu sei que é possível competir por alegria”, conta. A catarinense acabou conquistando a 15ª posição geral e o 2º lugar na categoria 40-44 anos.

Durante a 25ª Travessia Ilha do Campeche, o vento estava fraco e as ondas eram pequenas - Daniel Queiroz/ND
Durante a 25ª Travessia Ilha do Campeche, o vento estava fraco e as ondas eram pequenas - Daniel Queiroz/ND


A jornalista foi uma das 270 pessoas que participaram desta edição da travessia, realizada há 18 anos pela academia Sotália Sports. Esportistas amadores e profissionais, de 12 a 74 anos, foram levados à Ilha do Campeche de bote e retornaram à praia a nado. Para o empresário Sílvio Murilo dos Santos, 48, proprietário da academia, a integridade física dos competidores é a prioridade.

“Em 18 anos nós não tivemos nenhum acidente”, comenta. Na edição de 2017, o tempo contribuiu para tal – o vento estava fraco e as ondas se mantiveram pequenas. Em 2016, a competição precisou ser transferida por uma semana por conta do vento forte.

Sem nadar há 22 anos, Juliana Germann retornou ao mar neste sábado - Daniel Queiroz/ND
Sem nadar há 22 anos, Juliana Germann retornou ao mar neste sábado - Daniel Queiroz/ND


Cerca de meia hora antes da largada, Lucas Kogut, 15 anos, já estava no mar se aquecendo. De volta à areia, ele esbanjava tranquilidade – algo surpreendente para o jovem atleta que venceu a travessia no ano anterior e que almeja participar das Olimpíadas de 2020. “Não sinto pressão. Estou bem motivado porque faz tempo que não participo de uma competição como essa”, afirma.

Lucas, da equipe Clube Doze, estreou na travessia em questão em 2016 e impressinou na época ao realizar o trajeto em 20 minutos e 48 segundos.  Apesar de participar da modalidade há quatro anos, a paixão do jovem curitibano é outra. “Meu foco é piscina, mas eu gosto de fazer travessias pra fugir da rotina”.

Lucas Kogut, de 15 anos, venceu a categoria geral pelo segundo ano consecutivo - Daniel Queiroz/ND
Lucas Kogut, de 15 anos, venceu a categoria geral pelo segundo ano consecutivo - Daniel Queiroz/ND


E foi com uma vantagem impressionante que Lucas venceu a categoria geral pelo segundo ano consecutivo, quebrando o próprio recorde. O estudante concluiu o trajeto em 19 minutos e 2 segundos, enquanto o segundo colocado, Eduardo Hülse, o fez em 20 minutos e 32 segundos. “O desafio foi chegar certinho no local, que estava bem difícil. Eu mirei em três casinhas para me orientar e graças a Deus fui feliz. Mas ano passado estava um pouco mais fácil”, declara.

Quem também comemorou a superação foi a campeã da categoria feminina, Taynara Bonetti, de 19 anos. Em 2016 a atleta finalizou a prova aos 26 minutos e 59 segundos, que agora foram reduzidos para 24 minutos e 25 segundos. “Em 2016 eu me perdi um pouco, porque não teve orientação de bóias e havia muita corrente. Este ano foi tudo que eu esperava e consegui aplicar o que eu treinei”, conta.

A primeira colocada na categoria feminina, Taynara Bonetti, intensificou os treinos antes da competição - Daniel Queiroz/ND
A primeira colocada na categoria feminina, Taynara Bonetti, intensificou os treinos antes da competição - Daniel Queiroz/ND


Ao longo dos últimos meses, os treinos da estudante de gestão ambiental, que treina na praia de Jurerê nos finais de semana, se tornaram ainda mais intensos. “Eu voltei a nadar todos os dias. No ano anterior eu havia dado uma relaxada na natação, mas senti falta disso”, diz. “Estar na água diariamente, treinando e tendo contato com o meio fez toda a diferença.”

Experientes no nado

Uma das participantes que marca presença na competição desde o começo da década de 2000 é a surfista Barbara Baptista, 70 anos. “Quando eu comecei a participar havia poucos nadadores e era tudo mais informal”, disse. Hoje, segundo ela, a estrutura é um dos diferenciais do evento. Antes de iniciar a prova, Barbara comia uma barra de cereal e torcia para que os alongamentos ajudassem no percurso. “O desafio hoje é terminar a travessia sem câimbra na perna”, brinca.

A surfista Barbara Baptista tem 70 anos e tem paixão pelo mar - Daniel Queiroz/ND
A surfista Barbara Baptista tem 70 anos e tem paixão pelo mar - Daniel Queiroz/ND


A surfista, que nasceu nos Estados Unidos e mora há 40 anos na capital catarinense, costuma treinar de quatro a cinco vezes por semana durante o verão, sempre no mar ou na Lagoa da Conceição. No inverno, ela vai para a piscina, onde treina de duas a três vezes por semana. “A piscina é só uma substituta. Eu sou mesmo é do mar.”

“Aqui o que conta é o psicológico”, afirma a administradora Carla Barreto, 47 anos, que se preparava para a aventura ao lado do marido, Ricardo, 52, e da filha, Caroline, 16. Apesar de já estar acostumada com o mar, a família participou junta da travessia pela primeira vez neste sábado. A administradora já deu aula de natação e realizou o trajeto em 2014, enquanto Ricardo possui anos de experiência no triátlon. Na manhã de sábado, entretanto, a diversão era a prioridade. “A gente está preocupado em chegar bem, e não com a colocação. A travessia é uma superação com você mesmo”, explica Carla.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade