Publicidade
Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

Termina a greve dos funcionários do Hospital Florianópolis

Durante as 31 horas de paralisação, apenas os serviços de emergência e urgência foram realizados, além do atendimento a 25 pacientes internados

Michael Gonçalves
Florianópolis
09/01/2018 às 16H08

A greve de parte dos 600 funcionários do Hospital Florianópolis, na área continental da capital catarinense, terminou na tarde desta terça-feira (9) após o pagamento do salário de dezembro e das multas pelo atraso.

O repasse foi assegurado após a SES (Secretaria de Estado da Saúde) pagar na tarde de segunda-feira (8) a 12º parcela de 2017 no valor de R$ 2.715.457,99 para a SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina), que gerencia a unidade hospitalar. Durante as 31 horas de paralisação, apenas os serviços de emergência e urgência foram realizados, além do atendimento a 25 pacientes internados.

>> Atraso no pagamento de salários motiva greve de funcionários no Hospital Florianópolis

A adesão à greve fez com que cirurgias eletivas tivessem de ser suspensas nesta terça-feira. Segundo a presidente do SindSaúde (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Saúde Pública Estadual e Privado de Florianópolis e Região), Simone Hagemann, os trabalhadores tiveram a garantia de que ninguém será punido por exercer o direito de greve.

Janeiro foi o segundo mês consecutivo em que funcionários do Hospital Florianópolis tiveram de fazer greve para terem seus salários pagos. No dia 11 de dezembro, os trabalhadores já haviam paralisado por 12 horas em função do atraso no pagamento no mês de novembro. De acordo com o SindSaúde, essa foi a sexta vez, nos últimos 12 meses, que os salários atrasaram.

O sindicato alerta para o estado de estresse que estão os funcionários por terem que passar por essa situação todos os meses. Além disso, eles também vivem a incerteza sobre seu futuro no hospital, uma vez que a SPDM, empresa que administra o Hospital FLorianópolis desde 2013, pode estar de saída do comando da unidade, assim como ocorreu no último mês no Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e no Hospital Regional de Araranguá.

Atendimento foi normalizado na tarde desta terça após assembleia - Daniel Queiroz/ND
Atendimento foi normalizado na tarde desta terça após assembleia - Daniel Queiroz/ND



Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade