Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Surto de diarreia no Norte da Ilha é investigado por Vigilância Epidemiológica, afirma Estado

Aumento de casos acontece em meio ao agravamento dos níveis de poluição no rio do Brás, em Canasvieiras

Redação ND
Florianópolis

O governo do Estado afirmou por meio de nota, nesta sexta-feira (8), que a Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina) está acompanhando e participando da investigação realizada pela Vigilância Epidemiológica de Florianópolis para identificar o surto de diarreia no Norte da Ilha.

Bruno Ropelato/ND
Água escura e mau cheiro do rio do Brás afugenta veranistas em Canasvieiras

 

Nas últimas semanas, houve agravamento dos níveis de poluição por esgoto sem tratamento junto à foz do rio do Brás, entre as praias de Canasvieiras e Cachoeira do Bom Jesus. Ao mesmo tempo, moradores e turistas na região apresentam quadros de vômitos, diarreias e fortes dores abdominais.

A praia de Canasvieiras, como o Notícias do Dia já havia noticiado na quinta-feira (8), está com todos os sete pontos impróprios.

Segundo a nota do governo, na temporada de verão “é comum o aumento do número de casos de diarreia devido a diversos fatores: crescimento da população sazonal, com a chegada de turistas; consumo de alimentos contaminados em razão do manuseio ou conservação inadequados; banhos em áreas impróprias; e alergias alimentares”.

:: Poluição do rio do Brás provoca viroses, revolta turistas e prejudica temporada em Canasvieiras ::

:: Norte da Ilha tem a pior balneabilidade de Florianópolis, diz relatório da Fatma ::

Ainda de acordo com o comunicado, em 2015 foram notificados 133.437 casos de diarreia em Santa Catarina. Nos meses de calor, as ocorrências aumentam até 100%. Em janeiro do ano passado, foram registrados 16.187 casos. Em agosto, 7.449 casos.

“É considerado surto da doença quando há ocorrência de, no mínimo, dois casos com o mesmo quadro clínico após ingestão do mesmo alimento ou água da mesma origem num determinado período de tempo. Ao apresentar os sintomas, a pessoa deve evitar a automedicação e procurar uma unidade de saúde para o devido atendimento”, finaliza a nota.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade