Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

STJ será rápido em caso Lula, diz presidente da corte

Recurso especial do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva será julgado "em 30 ou 40 dias" depois que chegar ao STJ

Folha de São Paulo
Brasília (DF)
05/09/2018 às 11H55

LETÍCIA CASADO, BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro João Otávio de Noronha, presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), disse nesta quarta-feira (5) que o recurso especial do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva será julgado "em 30 ou 40 dias" depois que chegar à corte.

A previsão, segundo ele, é que o caso seja analisado até o fim do ano.

O ex-presidente está preso desde 7 de abril, depois de ser condenado e de ter um recurso rejeitado pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal), a segunda instância da Lava Jato. Ele foi condenado em janeiro a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP). 

A defesa recorreu, mas o recurso está no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) e não foi remetido para o STJ.

"Não chegou ao STJ. Chegando ao STJ, posso afirmar a vocês, em 30, 40 dias esse processo estará julgado", afirmou. 

A condenação de Lula na segunda instância o colocou em condição de inelegibilidade, por esbarrar na lei da Ficha Limpa.

Na semana passada, o TSE barrou o pedido de registro de candidatura feito pelo petista para concorrer à Presidência.

Se o recurso for acatado e o STJ suspender a condenação, Lula deixa de ter a condição de inelegibilidade. Assim, a defesa alega que ele poderia concorrer sub judice, pois a condenação poderia ser revertida.

"A pauta do Brasil não pode ficar em torno de Lula", acrescentou. 

"A Lava Jato foi um bom exemplo, mas precisamos retomar as discussões para o Brasil. Penso ter cabimento uma reforma no Judiciário", disse Noronha.

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade