Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Sorvete para pacientes em tratamento de câncer é testado no HU da UFSC, em Florianópolis

Complemento alimentar em forma de sorvete foi desenvolvido em parceria entre a universidade e fábrica de sorvetes da Capital, e teve alto índice de aceitação

Redação ND
Florianópolis
30/08/2018 às 16H56

Uma pesquisa com o consumo de sorvetes produzidos especialmente para pacientes em tratamento de câncer está sendo realizada no HU (Hospital Universitário) da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), em Florianópolis. Estudos mostram que pacientes em quimioterapia têm preferência por frutas, suco de frutas e gelados. Assim, tem-se buscado alternativas alimentares que utilizam a crioterapia, que nada mais é do que o consumo de gelo ou alimentos gelados na conduta terapêutica.

Em 2018, o Brasil deve registrar cerca de 600 mil novos casos de câncer, segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer). Entre os tratamentos, o mais frequente para enfrentar esta doença é a quimioterapia. Apesar de necessária e eficaz, ela traz inúmeros efeitos colaterais, como queda de cabelo, perda de apetite, alteração do paladar, enjoos, vômitos, aftas, feridas na boca, entre outras alterações que acabam por reduzir a vontade de comer e, invariavelmente, comprometem o estado nutricional dos pacientes.

Há seis meses em atendimento no HU, Carolina é uma das pacientes que está participando da pesquisa - Grangeiro e Scarduelli Comunicação/Divulgação/ND
Há seis meses em atendimento no HU, Carolina é uma das pacientes que está participando da pesquisa - Grangeiro e Scarduelli Comunicação/Divulgação/ND


“Minha vida mudou completamente”

Carolina Gilda Martins, 31 anos, é uma das pacientes que está participando do estudo. Há seis meses em atendimento no HU por conta de um linfoma, ela se considera privilegiada pois não sente os mesmos sintomas de outros pacientes que fazem a quimioterapia, como sangramentos orais, vômitos e fraqueza, talvez porque ao longo da vida tenha sempre se preocupado com a saúde. Por isso, ficou muito feliz em saber que existe um sorvete desenvolvido especialmente para pessoas em tratamento de doenças.

Carolina é contadora e administradora de empresas e gosta muito de viajar. Além dos Estados Unidos, já conhece países da Europa e da América do Sul. Estava com tudo pronto para ir morar na Califórnia com o marido, quando, 15 dias antes da viagem, descobriu que estava com câncer linfático. “Minha vida mudou completamente", desabafa. Carolina trocou as viagens internacionais pelo ir e vir para o HU, onde fica internada na Clínica Médica II, uma das unidades onde os testes com o sorvete estão sendo realizados. Diariamente experimenta um, conforme orientações da nutricionista Aline Valmorbida, que acompanha a pesquisa.

Professora Francilene Kunradi Vieira, nutricionista Paloma Mannes e Marcelo Kuerten Baracuhy, da YPY Sorvetes, no dia da apresentação da pesquisa - Grangeiro e Scarduelli Comunicação/Divulgação/ND
Professora Francilene Kunradi Vieira, nutricionista Paloma Mannes e Marcelo Kuerten Baracuhy, da YPY Sorvetes, no dia da apresentação da pesquisa - Grangeiro e Scarduelli Comunicação/Divulgação/ND


Inovação

O complemento alimentar na forma de sorvete foi desenvolvido para auxiliar no atendimento às necessidades nutricionais dos pacientes em tratamento de quimioterapia. A pesquisa foi coordenada pela professora Francilene Kunradi Vieira, do Departamento de Nutrição da UFSC, e teve à frente a nutricionista Paloma Mannes, residente em Alta Complexidade do Programa de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde do HU, e a nutricionista da unidade de oncohematologia Akemi Arenas Kami, que realizaram a introdução do complemento na dieta dos pacientes. A pesquisa contou ainda com o apoio da equipe de nutricionistas do hospital e da equipe de oncohematologia.

Os sorvetes foram desenvolvidos em parceria com a empresa catarinense YPY Sorvetes Premium. Para testar a aceitação do complemento alimentar por estes pacientes, a empresa desenvolveu, junto com a equipe de pesquisa da UFSC e do HU, um produto que é fonte de proteína de alto valor biológico, fonte de fibra, livre de gordura trans, sem lactose e sem glúten, com alto valor calórico, apresentado em quatro sabores de sorvete: limão, morango e chocolate.

O complemento alimentar foi desenvolvido no ano passado e avaliado no período de setembro a dezembro de 2017, sendo consumido por provadores sem câncer e por pacientes em tratamento de quimioterapia. “Todos os sabores foram bem aceitos pelos dois grupos, com percentual de aceitação acima de 75%. Os resultados sugerem uma possibilidade terapêutica promissora a ser inserida na alimentação. Ou seja, a inclusão do sorvete na terapia pode ser abraçada”, explica Paloma. A pesquisa foi transformada em artigo científico e foi publicada em meados de agosto numa prestigiada publicação dos produtores de ciência: o Journal of Culinary Science & Technology.

Futuro

A ideia é levar esse complemento alimentar para todos os pacientes internados ou em tratamento domiciliar que tenham necessidades nutricionais que requeiram aumentar o valor calórico e protéico na dieta. Tem a vantagem por ser um alimento que faz parte do repertório alimentar das pessoas em todas as faixas etárias, é nutritivo e saudável, além de respeitar os hábitos alimentares dos indivíduos já tão fragilizados, tanto do ponto de vista biológico como emocional.

“Humanizar o atendimento nutricional é nossa grande meta. Acreditamos que este complemento poderá ser usado também por pacientes com outros tipos de câncer, com distúrbios neurológicos, pacientes pós-trauma bucomaxilo, entre outras situações como idosos que não têm vontade de se alimentar”, acredita a professora Francilene.

Para a YPY, fábrica de sorvetes de Florianópolis que vem inovando no segmento a partir da produção de sorvetes saudáveis, a parceria para desenvolver a pesquisa no HU foi um passo importante na história da empresa de pouco mais de cinco anos. “Como nem todos os pacientes com câncer em tratamento ficam no hospital, passando a maior parte do tempo em casa, estamos desenvolvendo estudos para viabilizar o fornecimento desse complemento alimentar em forma de sorvete para o público em geral”, antecipa a boa nova o empreendedor Marcelo Kuerten Baracuhy, diretor de desenvolvimento de produtos da YPY.

Por enquanto, o Complemento Alimentar da YPY pode ser adquirido apenas junto à fábrica, que funciona em Florianópolis, na rodovia SC 401.

Publicidade

9 Comentários

Publicidade
Publicidade