Publicidade
Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

Soldado morta no RN morava em Chapecó desde criança e era “policial exemplar”

Caroline Plescht, de 32 anos, foi assassinada em uma pizzaria em Natal durante férias com o marido, sargento da PM que segue internado

Redação ND
Florianópolis
27/03/2018 às 14H46
Soldado Caroline Plescht estava de férias com o marido, que também é PM, em Natal - Reprodução/ND
Soldado Caroline Plescht estava de férias com o marido, que também é PM, em Natal - Reprodução/ND


Uma “policial exemplar”. Assim colegas da soldado Caroline Plescht, de 32 anos, definiram a PM, assassinada na noite de segunda-feira (26) durante assalto a uma pizzaria em Natal, no Rio Grande do Norte. Lotada em Chapecó, Caroline estava de férias com o marido, o sargento Marcos Paulo da Cruz. Eles estavam passeando na capital potiguar após participarem da Operação Veraneio em Florianópolis.

Natural do Mato Grosso do Sul, a soldado morava na cidade do Oeste catarinense desde criança e entrou para a Polícia Militar em 2013.

O caso ocorreu por volta das 21h de segunda-feira, quando o casal de policiais militares jantava no estabelecimento. Dois criminosos, então, entraram no local e anunciaram o assalto. Eles começaram a recolher pertences das pessoas, quando perceberam que Marcos Paulo estava armado e exigiram que o casal ficasse de joelhos.

O PM entrou em luta corporal e a arma de fogo que portava acabou caindo. Foi quando os bandidos efetuaram dois disparos contra Caroline, que atingiram seu peito. Os assaltantes também dispararam contra Marcos Paulo, que foi ferido no ombro. Os homens fugiram, levando a arma e a carteira do policial.

O casal foi socorrido, mas a soldado morreu antes da chegada ao hospital. O sargento passou por cirurgia e não corre risco de morte. Na manhã desta terça-feira (27), familiares das vítimas já estavam a caminho de Natal. Também viajaram o chefe de gabinete do comando-geral da Polícia Militar de Santa Catarina e uma assistente social, para dar apoio psicológico ao sobrevivente, além de cuidar do traslado do corpo de Caroline.

A PMSC lamentou “o fato de pessoas serem vítimas de homicídio pelo simples fato de terem escolhido a polícia como profissão”. Procurado pela RICTV, o tenente-coronel Ricardo Alves da Silva, da PM em Chapecó, disse que não conseguiria dar entrevista pois estava muito abalado.

Marido de Caroline, o sargento Marcos Paulo da Cruz foi operado e está fora de risco - Reprodução/ND
Marido de Caroline, o sargento Marcos Paulo da Cruz foi operado e está fora de risco - Reprodução/ND



Publicidade

5 Comentários

Publicidade
Publicidade