Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Simulação dos Bombeiros movimenta o Centro de Florianópolis por 30 minutos

Bombeiros realizaram um treinamento de combate a incêndio e resgate de vítimas no prédio da prefeitura da Capital

Michael Gonçalves
Florianópolis
22/11/2016 às 16H12

O Centro de Florianópolis parou por 30 minutos ao meio dia desta terça-feira (22) com a simulação de combate a incêndio e o resgate de quatro vítimas, pelo Corpo de Bombeiros, no prédio onde está situada a Prefeitura da Capital. Cerca de 350 pessoas deixaram o edifício, ao lado do Largo da Catedral, de forma ordenada pelas escadas. Duas vítimas foram resgatadas de rapel, uma saiu de maca pelo caminhão escada e a quarta foi socorrida pelas escadas. A simulação foi uma das atrações da semana da conciliação, que é uma iniciativa do Tribunal de Justiça e da Prefeitura de Florianópolis.

Para o comandante de instrução, ensino e operação do Corpo de Bombeiros, tenente André Canever, o treinamento é importante para manter a tropa ativa e preparada. “Levamos em conta que as vítimas estavam confinadas pela fumaça e precisaram ser socorridas pelas sacadas. Tudo foi realizado a exemplo de uma situação real. Os bombeiros foram acionados e precisaram colocar as roupas e os equipamentos de combate a incêndio em um local seguro”, afirma o oficial.

Corporação utilizou todo o material disponível para o resgate de vítimas nas alturas - Flávio Tin/ND
Corporação utilizou todo o material disponível para o resgate de vítimas nas alturas - Flávio Tin/ND



O trânsito na esquina entra as ruas Tenente Silveira e Arcipreste Paiva foi fechado pelas seis viaturas dos Bombeiros. Foram duas ambulâncias, dois caminhões para bombear a água, um caminhão-escada e um tanque. A simulação contou com 18 bombeiros militares e mais quatro comunitários, que foram as vítimas. Até uma máquina de fumaça foi utilizada no treinamento.

“Mesmo ciente que estava em uma simulação, confesso que fiquei bem nervoso em estar numa situação que você precisa confiar em outra pessoa. Quando estava imobilizado na maca, a minha única reação foi agarrar na roupa de um dos bombeiros e respirar fundo”, contou o bombeiro comunitário Osni Barbi Júnior, 24, que foi resgatado de maca pelo caminhão escada.

 

Treinamento atrai curiosos e desperta consciência

A ação do Corpo de Bombeiros chamou a atenção de quem passava pela região da Praça 15. Ambulantes, estudantes e profissionais liberais pararam por alguns minutos para aplaudirem mais uma operação de resgate. “O tempo resposta leva em conta o deslocamento da viatura e como neste caso os caminhões estavam no quartel da Praça Getúlio Vargas, os cinco minutos são excelentes. É claro que esse tempo é uma eternidade para quem está confinado”, lembra o tenente André Canever.

Quem interrompeu a caminhada pelo Centro foi o aposentado José Virgulino, 59, que parou para filmar a ação com o celular. “O trabalho de preservação da vida precisa de muito treino e coragem. Temos é que agradecer esses profissionais que arriscam a própria vida pela dos outros”.

A simulação também agradou a auxiliar administrativo Chayanne da Silva, 25, que desceu as escadas em ritmo acelerado. Ela trabalha no 4º andar e resolveu trocar o calçado para participar do simulado. “É importante a gente receber a orientação do que deve fazer num momento de tensão e perigo, mas quero ver a perna não travar durante uma situação real”, desabafa.

Chayanne (rosa) trocou o salto alto para participar do simulado - Flávio Tin/ND
Chayanne (rosa) trocou o salto alto para participar do simulado - Flávio Tin/ND



      Publicidade

      1 Comentário

      Publicidade
      Publicidade