Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Servidores municipais de Florianópolis decidem possibilidade de greve nesta quarta

A categoria vai discutir o projeto "Creche e Saúde Já", que propõe a contratação de OS para a gestão de creches e da UPA do Continente

Redação ND
Florianópolis
11/04/2018 às 12H04

Em uma assembleia marcada para as 13h desta quarta-feira (11), servidores públicos de Florianópolis decidem a possibilidade de uma greve por tempo indeterminado. A categoria vai discutir o projeto “Creche e Saúde Já”, apresentado pela Prefeitura de Florianópolis, que propõe a contratação de OS (Organizações Sociais) para a gestão de creches e da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Continente.

O projeto foi protocolado na sexta-feira (6) na Câmara de Vereadores, em regime de urgência, e tem provocado protestos entre os servidores. Para o Sintrasem (Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Florianópolis), a proposta é uma tentativa de privatizar os serviços de Educação e Saúde. “Em todo lugar em que as OS foram implantadas, a qualidade no atendimento caiu. E, claro, isso atinge principalmente a população mais pobre, que depende exclusivamente de políticas públicas”, diz o sindicato em sua página em uma rede social.

a prefeitura argumenta que o projeto vai aumentar o número de vagas nas creches e que a gestão por OS custará menos aos cofres públicos para ofertar os mesmos serviços. A dificuldade para contratação de mais efetivo, devido ao teto do limite de gastos com pessoal, também é uma das justificativas da prefeitura.

Pela manhã, os trabalhadores da Comcap (Autarquia de Melhoramentos da Capital) também realizaram uma assembleia e, entre outras deliberações próprias, decidiram entrar em estado de greve contra o "Creche e Saúde Já", sinalizando que também poderão paralisar as atividades caso haja a aprovação do projeto.

A assembleia dos servidores no período da tarde será realizada na Praça Tancredo Neves, no Centro de Florianópolis, com a participação de profissionais da saúde, educação e serviços sociais da cidade. Além das discussões sobre o projeto, a pauta também inclui a data-base 2018 dos trabalhadores.

Com isso, segundo o Sintrasem, o expediente em creches e unidades de saúde poderão ser afetados por causa da ausência dos servidores. Algumas creches já orientaram os responsáveis a buscarem os alunos mais cedo por causa da realização da assembleia.

A prefeitura disse que está monitorando os serviços de saúde e educação, mas que, durante a manhã, todas as unidades atendiam normalmente.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade