Publicidade
Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 20º C

Senadinho completa 36 anos de bate-papos sobre política, a cidade e os assuntos do dia

Homenagem a 12 frequentadores do local marcou a data

Raquel Cruz
Florianópolis

Trinta e seis anos depois do movimento que ficou conhecido como Novembrada, o grupo de manezinhos que compõem o Senadinho, no Centro de Florianópolis, comemorou o aniversário de criação daquele que se tornou um dos mais tradicionais pontos de discussão política de Florianópolis. Na tarde de segunda-feira, 12 pessoas receberam uma condecoração em homenagem aos trabalhos prestados à cidade.

Juliana Germann/Divulgação
Diplomados são "pessoas que valorizam a cultura local", segundo o patriarca Edy Leopoldo Tremel

 

O grupo que se reúne quase que diariamente para discutir política entre uma xícara e outra de café desde 1979, comemorou o 36º aniversário do Senadinho com a entrega de 12 diplomas. A condecoração é dada, conta o patriarca do grupo, Edy Leopoldo Tremel, “para pessoas que fazem alguma coisa que valoriza a cultura local, sem interesse econômico, mas por amor à Ilha”.

O Senadinho – grupo que se reúne desde a fundação no Café Chic, no Centro Histórico - ficou conhecido logo na cerimônia do primeiro dos cerca de 470 diplomas já entregues por um grupo de manezinhos formadores de opinião. O então presidente da República, João Baptista Figueiredo, esteve no Café Chic durante uma passagem por Florianópolis em 30 de novembro de 1979.

Na ocasião, Figueiredo recebeu a condecoração do grupo de amigos por ser o primeiro presidente do regime militar a adotar medidas que caminhavam para o fim do período repressão no país.

O que tornou o evento tão comentado na época, no entanto, foi uma manifestação em frente ao local, que terminou na prisão de estudantes que participaram do protesto.

Desde então, o Senadinho é ponto obrigatório para quem quer se inteirar sobre os bastidores políticos da cidade. Todos os anos, como manda a tradição, são entregues diplomas para pessoas consideradas referências no cenário da Capital. (Raquel Cruz)

HOMENAGEADOS

Amaro Manoel da Costa, em nome do grupo de música Gente da Terra

Analúcia de Andrade Hartmann, procuradora da República

Eleutério Nicolau da Conceição, professor e escritor

Gilberto Gerlach, membro da Academia Catarinense de Letras

Jorge Almeida, manezinho da Ilha

José Cipriano da Silva, artista plástico

Moriel Adriano da Costa, músico e compositor

Roberto de Oliveira, historiador e engenheiro

Rogério Martins, manezinho da Ilha

Ricardo Ferraro Moritz, músico

Sander de Mira, em nome da Acif (Associação Comercial e Industrial de Florianópolis).

Victor Emmanuel Carlson, fotógrafo e pesquisador

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade