Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Palhoça recebe seminário internacional de aviação e proposta para fábrica de helicópteros

Segundo Senai, cidade está entre os três polos do setor no país

Letícia Mathias
Florianópolis

Santa Catarina está entre os principais polos aeronáuticos do país e Palhoça é a cidade pioneira do Estado no setor, que tem ganhado destaque internacional. Para fomentar o mercado e tornar a Grande Florianópolis referência no setor, o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) promove o Seminário Internacional de Aviação nesta quinta-feira, em Palhoça, trazendo representantes de três instituições importantes dos Estados Unidos e Canadá. O assunto é tão atual e promissor que há proposta de uma empresa chinesa para a instalação de uma fábrica e montagem de helicópteros na cidade.

Eduardo Valente/ND
Encontro internacional será no hangar do Senai da cidade, que oferece 22 cursos ligados ao setor

 

É a primeira vez que o seminário é realizado no Estado. A ideia surgiu após a visita da comissão da Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina) ano passado na Sun ‘n Fun, a segunda maior feira do mundo de aviação, conforme o diretor do Senai em Palhoça, Marcos Hollerweger.

Desde então, Hollerweger e o Comitê de Desenvolvimento da Indústria Aeronáutica da Fiesc buscam estreitar relações com as entidades internacionais do ramo para trazer novas tecnologias e aprimorar a atuação do Senai, que hoje conta com 22 cursos ligados à aviação em Palhoça, três deles de montagem e manutenção de aeronaves homologados pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). São atendidos 180 alunos.

Entre as instituições participantes do evento estão a Superior Air Parts, fabricante de motores para aviões, e a École Nationale D’Aérotechnique, universidade canadense. Entre os temas estão combustíveis para aviação, projetos de aeronaves desenvolvidos pelo software Catia e procedimentos de manutenção de aeronaves.

Plano da empresa será entregue ao Estado

O coordenador do Comitê de Desenvolvimento da Indústria Aeronáutica da Fiesc, Cesar Olsen, não revelou o nome da fábrica de helicópteros que poderá vir para Palhoça, nem quanto se pretende investir, mas disse que tem um bom relacionamento com o presidente da empresa e que foi um incentivador de trazer a fábrica “que deverá fazer altos investimentos”.

A empresa hoje funciona na China e ano passado sinalizou a intenção de trabalhar no ocidente. O plano de negócios deve ser entregue ao governo do Estado no próximo mês. Se o projeto for viável e executado, a expectativa é atender todo o mercado ocidental a partir de Palhoça.

O presidente, que é norte-americano, esteve em Santa Catarina em janeiro, acompanhado de Olsen, e aceitou a ideia de montar um plano de negócios para a instalação no Estado, provavelmente na área industrial do Jardim Eldorado, em Palhoça.

Palhoça entre os três polos do país

A ideia inicial seria trazer o trabalho de montagem da empresa de aviação para a Grande Florianópolis e, após seis anos, fazer todo o processo de fabricação aqui. Os produtos são helicópteros tripulados e não tripulados, que serviriam desde o uso executivo e formação de pilotos, até uso militar, com sistemas de tecnologia de ponta.

Segundo Olsen, a vantagem para a empresa é ter os centros de formação, que estão entre os mais modernos do país, laboratórios e mão de obra perto. “Santa Catarina está se desenvolvendo muito, os polos hoje estão no interior de São Paulo e de Minas Gerais, e em Palhoça. Estamos há sete anos trabalhando para fomentar o setor e, com esse trabalho, a cidade e o Estado têm sido destacados como um dos grande ícones nacionais do setor”, diz.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade