Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Sem receber pagamento, empresa deixa de fazer a manutenção de semáforos em Florianópolis

Prefeitura não fez repasses à empresa Dataprom, que decidiu paralisar o serviço na Capital; situação complicou ainda mais depois do ciclone que atingiu a cidade no domingo

Felipe Alves
Florianópolis
06/12/2016 às 22H10

Desde a sexta-feira (2), os semáforos de Florianópolis estão sem manutenção. A empresa que faz o serviço na cidade está de braços cruzados por causa da falta de pagamento por parte da prefeitura da Capital. De acordo com o secretário de Segurança Pública e Gestão do Trânsito da cidade, José Paulo Rubim, em pontos críticos onde os equipamentos não estão mais funcionando, a Guarda Municipal está atuando para orientar no trânsito, como é o caso da sinaleira em frente ao Ticen, que desde domingo está intermitente.

Sinaleiras em frente ao Ticen estão intermitentes - Gustavo Bruning/ND
Sinaleiras em frente ao Ticen estão intermitentes - Gustavo Bruning/ND


Em vários pontos da cidade, por falta de manutenção ou defeito, há semáforos intermitentes ou totalmente desligados, causando transtornos no trânsito. A situação se agravou no último fim de semana após a passagem de um ciclone pela região. Na sexta-feira, o secretário se reuniu com representantes da Dataprom, empresa curitibana que faz a manutenção do sistema em Florianópolis, e garantiu os repasses de R$ 180 mil e de R$ 200 mil. De acordo com a assessoria de imprensa da empresa, somente um dos repasses foi feito até o momento. A prefeitura e a empresa não divulgaram o valor exato da dívida.

De acordo com o secretário Rubim, os repasses não estão em dia por causa da crise financeira em que se encontra a prefeitura. Ele afirma que a empresa tem que cumprir o contrato, independente do pagamento. “Se for o caso vamos acionar a Justiça. Estamos tentando colocar as parcelas em dia, pedi para que eles não parassem o serviço. A dívida é legítima, mas não é um calote, há uma dificuldade financeira que ninguém nega”, afirma.

No  dia 18 de dezembro o contrato com a Dataprom será encerrado e, segundo Rubim, ainda não há uma nova licitação encaminhada. O secretário afirma que é preciso fazer uma revisão dos valores pagos à empresa e procurar no mercado “preços mais compatíveis” para a manutenção de semáforos e compra de equipamentos.

Por meio de nota, a Dataprom informou que “só está tentando receber pelos serviços prestados, amparada pelo contrato com o município. A empresa tem a expectativa de resolver o impasse o quanto antes e, a princípio, não considera tomar medida judicial”.

 

Sistema inteligente de semáforos não saiu do papel

Com a deflagração da Operação Ave de Rapina pela Polícia Federal, em novembro de 2014, a empresa Focalle Engenharia Viária, que era responsável pela manutenção dos semáforos da cidade, teve seu contrato rescindido pela prefeitura. Em dezembro daquele ano, com diversos semáforos sem manutenção, a prefeitura decidiu contratar uma empresa para realizar o serviço. Posteriormente, a Dataprom assumiu de forma emergencial e, desde agosto de 2015, tem contrato com a prefeitura.

Em 2015, a prefeitura anunciou que abriria licitação para criar um sistema inteligente com sensores espalhados no asfalto e semáforos equipados com câmeras que, em sincronia, fariam a contagem automática do fluxo de veículos para determinar na hora o funcionamento do semáforo. De acordo com o secretário José Paulo Rubim, o projeto não saiu do papel.

Publicidade

3 Comentários

Publicidade
Publicidade