Publicidade
Quinta-Feira, 22 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 19º C

Sem negociações com o Estado, servidores da saúde paralisam atividades nesta terça, em SC

Segundo o SindSaúde/SC, centenas de enfermeiros, técnicos de enfermagem, profissionais de cozinha, limpeza e administrativos suspenderam suas atividades por uma hora, pela manhã

Redação ND
Florianópolis
27/03/2018 às 22H20

Servidores que trabalham em onze unidades de saúde estaduais administradas pela Secretaria do Estado da Saúde paralisaram suas atividades nesta terça-feira (27), com o intuito de pressionar o Estado a negociar sobre a pauta de reivindicações da categoria. O protesto, noticiado pelo Notícias do Dia nesta segunda (26), teve início às 9h e durou uma hora.

Paralisação mobilizou servidores do Hospital Regional de São José - SindSaúde/SC/Divulgação/ND
Paralisação mobilizou servidores do Hospital Regional de São José - SindSaúde/SC/Divulgação/ND


Segundo o SindSaúde/SC (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde Pública Estadual e Privado de Florianópolis e Região), centenas de enfermeiros, técnicos de enfermagem, profissionais de cozinha, limpeza, administrativos e outras especialidades participaram da manifestação.  O sindicato informou que não realizou a contagem de servidores que aderiram ao ato, por se tratar de uma paralisação parcial, mas confirmou que a unidade com maior adesão foi o Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, de Joinville, que teve as atividades de 100 servidores suspensas por uma hora.

Houve paralisações no Hospital Governador Celso Ramos, Hospital Nereu Ramos, Hospital Infantil Joana de Gusmão, Maternidade Carmela Dutra, Instituto de Psiquiatria de Santa Catarina (São José), Hospital Tereza Ramos (Lages), Hospital Waldomiro Colautti (Ibirama), Maternidade Dona Catarina Kuss (Mafra), Maternidade Darcy Vargas (Joinville), Hospital Regional Hans Dieter Schmidt (Joinville) e no Laboratório Central.

De acordo com a diretora de comunicação do sindicato, Heloisa Pereira, a secretaria de Saúde não fez nenhum contato com o SindSaúde/SC até a noite desta terça. “Vimos pela imprensa que a secretaria afirmou ter uma reunião marcada com o sindicato na próxima segunda-feira (2), mas não estamos sabendo disso. Amanhã [quarta-feira] vamos procurá-la e cobrar uma resposta”, disse Heloisa, por volta das 21h.

Reivindicações e indicativo de greve

Entre as reivindicações da categoria estão a abertura imediata de concurso público contratação de servidores e melhorias nas condições de trabalho, incluindo equipamentos e insumos adequados. As reivindicações incluem também o reajuste do vale alimentação, de R$ 12 para R$ 14, o pagamento da data base conforme a lei 323/2006, adicional de formação, defesa do SUS estatal, implantação da Política Nacional de Saúde do Trabalhador e anistia ao SindSaúde/SC. Os servidores também lutam pela preservação dos diretos atuais e incorporação da gratificação no vencimento.

Ato SindSaúde/SC - SindSaúde/SC/Divulgação/ND
Servidores realizaram ato em frente à Secretaria do Estado da Saúde na última quarta-feira  - SindSaúde/SC/Divulgação/ND


Em assembleia realizada na última quarta-feira (21), cerca de 500 servidores decidiram que outra paralisação será realizada na próxima terça-feira (3). Na ocasião, as atividades serão suspensas por duas horas. Também foi estabelecido o indicativo de greve a partir de assembleia marcada para a quarta (4), às 13h30, na praça do Hemosc. No encontro, os trabalhadores irão discutir os possíveis avanços na negociação da pauta de reivindicações junto à Secretaria do Estado da Saúde.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade