Publicidade
Quarta-Feira, 16 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 23º C

Seis pessoas são socorridas após ataque de abelhas em Palhoça, na Grande Florianópolis

Equipe do Samu passava pelo local para outra ocorrência, quando se deparou com pessoas cercadas pelo enxame; entre as vítimas estavam três crianças e homem com ao menos 100 picadas

Redação ND
Florianópolis
12/12/2018 às 14H33

Seis pessoas precisaram ser socorridas após sofrerem ataque de um enxame de abelhas no bairro Enseada do Brito, em Palhoça, no início da noite desta terça-feira (11). As vítimas foram duas mulheres, três crianças e um homem, que levou ao menos 100 picadas em todo o corpo e no rosto.

Conforme o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), por volta das 19h uma equipe voltava de outra ocorrência, quando se deparou com um tumulto de pessoas, e percebeu que elas estavam cercadas por abelhas. Eles pararam a ambulância e, imediatamente, prestaram ajuda. Um dos enfermeiros usou um extintor de incêndio para espantar os insetos.

Samu prestou atendimento às vítimas - Samu/Divulgação
Samu prestou atendimento às vítimas - Samu/Divulgação


O homem foi enrolado em um lençol e levado para a viatura, mas ainda assim as abelhas o seguiram. A equipe, no entanto, conseguiu retirá-las da área. Apesar de sofrerem menos picadas, as mulheres e as crianças tiveram um processo alérgico e receberam atendimento. O mais grave foi encaminhado ao Hospital Regional de São José

“Nossa viatura parecia um pronto atendimento”, descreveu o socorrista Aguiar. “Recebíamos as pessoas que passavam pelo local e que tinham tido contato com o enxame. Medicamos todos para evitar aglomerações na porta de entrada do hospital. A maioria foi atendida e liberada no local".

Ainda conforme o Samu, como o atendimento foi rápido, ninguém ficou em estado grave. Mais duas ambulâncias prestaram apoio. O ataque ocorreu após os moradores da casa mexerem em um sofá na casa. O enxame estava dentro do móvel.

Homem levou ao menos 100 picadas - Samu/Divulgação
Homem levou ao menos 100 picadas - Samu/Divulgação



Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade