Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Segunda de Carnaval é dia de Pop Gay

Pioneiro no estado, Pop Gay deve lotar a praça Tancredo Neves

Matheus Joffre
Florianópolis
Edu Cavalcanti/Arquivo/ND
No ano passado, o Pop Gay reuniu cerca de 40 mil


Florianópolis é conhecida por ser uma cidade que abriga e recebe muito bem toda a comunidade gay. Não é à toa que uma das festas mais aguardadas do Carnaval da Ilha da Magia é o tradicional Pop Gay. A segunda-feira de folia é marcada pelo concurso que elege, há 18 anos, as drag queens mais charmosas da noite. Hoje, a partir das 21h, a Praça Tancredo Neves, mais uma vez, vai virar palco da festa da diversidade.

O organizador do Pop Gay, Tiago Silva, acredita que o sucesso do concurso está relacionado principalmente à receptividade do município para esse segmento turístico. “Florianópolis é referência na questão de atender esse público. A própria Parada Gay mostra bem isso. Tem também várias casas noturnas, além de um bar com esse perfil na Praia Mole”, disse o coordenador que, há oito anos, está à frente da organização do evento.

Uma das grandes atrações dessa edição será a performance de Dimmy Kieer, personagem do ex-BBB Dicésar.  As drag queens Selma Light, Katia Karão, Marluce May e Aguillera também se apresentam na noite de hoje, que pelo oitavo ano consecutivo é comandada pela apresentadora oficial da Parada Gay de São Paulo, Silvetty Montilla.

Além do Pop Gay no centro de Florianópolis, outras localidades também passaram a promover eventos voltados para o público gay. Instituído no ano passado, o Carnaval do Continente tem como seu ponto alto o concurso de drag queens. Na última sexta-feira, teve também a eleição da rainha gay na cidade de São José. “O Pop está fazendo escola. Todos partiram do exemplo dele e a cultura gay está se dissiminando pelo estado”, afirmou a drag Selma Light, que há sete anos faz shows no evento.

A própria Parada Gay , que há cinco anos acontece na Avenida Beira Mar Norte, surgiu como fruto do concurso de drag queens. “O Pop é pioneiro em Santa Catarina, referência nacional. O Brasil inteiro vem para assistir. As pessoas que sempre vieram ver o concurso, são as mesmas que, hoje, participam da Parada. O Pop é o pai da Parada”, revelou Selma Light, uma das fundadoras da Parada Gay em Florianópolis.

Outra característica interessante do evento é que, além da comunidade gay, o concurso atrai um público bem diversificado. “O Pop Gay é aberto a toda comunidade florianopolitana. É voltado para o público gay, mas anos anteriores, atraiu muita família, heterossexuais. Por isso é uma das festas mais marcantes do nosso Carnaval”, afirmou Tiago.

A primeira edição do Pop Gay foi realizada no Largo da Alfândega, em 1993. Organizado pelo bloco carnavalesco Liberdade, o evento ainda era conhecido como Gala Gay. Dois anos depois, o concurso de drag queens passou a ser na avenida Hercílio Luz, reduto dos homossexuais na época, e há três tem como palco a Praça Tancredo Neves. No ano passado, o Pop Gay reuniu cerca de 40 mil pessoas e a expectativa da Secretaria de Turismo (Setur) é que esse número se repita em 2011.

 

O que: 18ª edição do Pop Gay
Onde: Praça Tancredo Neves
Quando: Hoje, a partir das 21h
Atrações: Dimmy Kieer, Selma Light, Katia Karão, Marluce May e Aguillera
Apresentação: Silvetty Montilla, apresentadora oficial da Parada Gay de São Paulo

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade