Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Santa Catarina tem quatro mortes de agentes de segurança em agosto

Segundo o governador Raimundo Colombo, a polícia trabalha com sua força ao máximo para enfrentar a situação

Redação ND
Florianópolis
31/08/2017 às 11H14

Apenas no mês de agosto, Santa Catarina soma quatro mortes de agentes de segurança, sendo três policiais militares e um agente prisional. Segundo o governador Raimundo Colombo, a polícia está trabalhando com sua força ao máximo para enfrentar a situação.

O caso mais recente de ataques contra os agentes de segurança aconteceu em Camboriú na noite desta quarta-feira (30), quando um sargento da Polícia Militar da reserva remunerada foi morto com três tiros na cabeça. A vítima, Edson Abílio Alves , que serviu na ativa da Polícia Militar por mais de 30 anos, estava desarmada quando o crime aconteceu.

Três dias antes, na segunda-feira (28), o cabo da PM Joacir Roberto Vieira, de 43 anos,  foi executado dentro de uma loja em Joinville. Ele comprava um presente de aniversário para o filho quando foi morto por dois homens, que fugiram do estabelecimento sem roubar nada, logo após o crime. Um dos suspeitos foi preso na noite desta quarta.

Foi na tarde do dia 18, uma sexta-feira, que o agente penitenciário Elton Dani de Oliveira Máximo, de 33 anos, foi assassinado a tiros em Joinville por dois homens em uma motocicleta. Ele estava de folga no momento do ataque.

O policial militar da reserva, Celso Olivério da Costa, 55 anos, fazia o serviço de segurança em uma padaria no bairro Capoeiras, em Florianópolis, quando foi morto durante um assalto no local, no dia 11, uma sexta-feira. Celso entrou em luta corporal com um dos bandidos e a troca de tiros começou fora do estabelecimento, quando o PM foi atingido.

Ele chegou a ser levado até o Hospital Florianópolis, mas não resistiu aos ferimentos. Ao menos três homens participaram do crime e fugiram em seguida.

Policial militar é morto durante assalto a padaria em Florianópolis - Reprodução
Policial que fazia serviço de segurança em uma padaria foi morto durante assalto em Florianópolis no dia 11 - Reprodução



Rigor no enfrentamento ao crime

O governador Raimundo Colombo falou com a imprensa nesta sexta-feira (31) durante a abertura do Congresso Catarinense de Saneamento, que é sediado em Florianópolis. Segundo ele, os ataques a policiais são uma “questão nacional”, mas Santa Catarina tem enfrentado a situação com bastante rigor.

“Foi uma noite pesada, de ações fortes à polícia, que está toda concentrada. E nós vamos reagir à altura para que toda a população tenha absoluta segurança. A polícia está trabalhando com sua força ao máximo, com todas as informações para enfrentar essa situação que nos desafia neste momento”, afirmou.

O governador ainda falou que Santa Catarina continuará investindo em ações que fortaleçam a segurança, como trazer melhorias à tecnologia e dar “condições operacionais para que o Estado prevalecer sobre a situação”. Ele lembrou ainda do aumento de efetivos. “O Estado está qualificando mais de 1.000 policiais neste momento. Cabe a todos nós agirmos e também à Justiça, para que as pessoas encontradas sejam punidas ao rigor da lei”, finalizou.

>> “O mal feito a um policial será repelido com rigor”, diz comando da PM em Santa Catarina

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade