Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Santa Catarina abre 4,9 mil novos empregos e apresenta segundo melhor resultado do país

Motivada pela expansão do comércio, o crescimento de vagas foi de 0,25% no mês; no setor de serviços foram mais 1.592 postos e na agropecuária, 908

Redação ND
Florianópolis
27/12/2017 às 17H38

A economia catarinense apresentou o segundo melhor resultado do Brasil na criação de 4.995 novos postos de trabalho em novembro. No acumulado do ano, de janeiro a novembro, foram abertas 51.550 vagas em Santa Catarina. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta quarta-feira (27), pelo Ministério do Trabalho.

Motivada pela expansão do comércio, o crescimento de vagas foi de 0,25% no mês. No setor de serviços foram mais 1.592 postos e na agropecuária, 908.

Já o resultado do país foi negativo. O resultado de novembro considera 1.111.798 de admissões contra 1.124.090 de desligamentos. No acumulado do ano, o saldo é de 299.635 empregos, com expansão de 0,78% em relação a dezembro de 2016. Nos últimos 12 meses, o saldo é negativo, com redução de 178.528 postos de trabalho, uma retração de 0,46%.

Setores da economia
Em novembro, o comércio foi o único setor que registrou saldo positivo (tanto atacadista quanto varejista), com a criação de mais de 68 mil vagas. Segundo o Ministério do Trabalho, as festas de fim de ano, que aqueceram as vendas, foram o motivo desse resultado.

A indústria de transformação registrou saldo negativo de 29.006 empregos. A construção civil reduziu 22.826 vagas. O setor agropecuária gerou saldo negativo de 21.761 vagas. O setor de serviços também apresentou saldo negativo de 2.972 vagas.

Projeção
A projeção do Ministério do Trabalho é que em 2018, com o crescimento da economia (o Produto Interno Bruto – PIB) em 3%, devem ser criados 1.781.930 empregos formais até o fim do ano, na comparação com o mesmo período de 2017.


O ministério também divulgou uma estimativa mais otimista considerando o crescimento do PIB de 3,5%, com a criação, no próximo ano, de 2.002.945 vagas.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade