Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

Restauração da igreja de São Francisco, no Centro de Florianópolis, chega ao fim em julho

Atualmente, os 26 restauradores trabalham nas 45 imagens sacras, nos altares e em seus mobiliários, pelo custo de R$ 6,9 milhões

Michael Gonçalves
Florianópolis
21/06/2018 às 21H58

Fundada no Século 19, a igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, no Centro de Florianópolis, está prestes a ser restaurada por completo. Após duas paralisações, a obra que teve início em 2012 está na sua terceira e última etapa que, segundo a arquiteta Mariana Nunes, chega ao fim em julho de 2018. Atualmente, os 26 restauradores trabalham nas 45 imagens sacras, nos altares e em seus mobiliários, pelo custo de R$ 6,9 milhões. Na esquina dos calçadões das ruas Deodoro e Felipe Schmidt, a igreja recebe cerca de 500 pessoas todos os dias, como o aposentado Valdemir Ari da Silva, 53, que fez do local um ponto de parada diária.

Trabalho nas 45 imagens está sendo feito por 26 restauradores - Daniel Queiroz/ND
Trabalho nas 45 imagens está sendo feito por 26 restauradores - Daniel Queiroz/ND


Apesar da restauração, o templo cristão permanece aberto. “Para quem reside ou convive na região central, a igreja é uma referência em busca de paz espiritual. Venho aqui todos os dias rezar e conversar com a Nossa Senhora Desatadora de Nós, de quem sou devoto, que fica bem na entrada do complexo”, explicou o aposentado.

No início da restauração, o prédio religioso estava em ruínas. As madeiras da armação do telhado ficaram podres sem manutenção e ofereciam perigo aos fiéis. A arquiteta Mariana Nunes, da Concrejato Engenharia, explicou que a 1ª etapa foi emergencial e focou na parte estrutural da construção.

Além da cobertura, os trabalhos foram concentrados nas torres e na captação pluvial. “Na 2ª etapa, realizamos os reparos de alvenaria, esquadrias, forros e pisos. Também construímos um anexo, onde estão os sanitários, a lavanderia e a copa. Agora estamos finalizando as imagens sacras, os altares e os móveis. Entregaremos ainda com a climatização, a iluminação e o sistema de segurança”, afirmou a arquiteta.

O trabalho minucioso de restauração utiliza a técnica do pontilhismo, que consiste em pequenos pontos que, justapostas, provocam uma mistura óptica aos olhos do observador.

Sacristã trabalha no tempo cristão há 31 anos

Ninguém conhece tão bem a igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, no Centro de Florianópolis, do que a sacristã Maria Ivone Paz, de 63 anos, que trabalha no local há 31 anos. Este é o primeiro emprego de Ivone, como é conhecida por todos, que entrou na função de secretária.

Durante mais de uma década, Ivone trabalhou na secretaria sem que a igreja tivesse um banheiro. “O sentimento é de chegar ao emprego novo, onde tudo é novidade. A igreja está linda e vai ficar ainda melhor com os últimos reparos. Estou me sentindo como há 31 anos, quando pisei aqui pela primeira vez”, comentou a sacristã.

Segundo Ivone, a igreja é a que mais recebe visitantes na cidade, porque está em uma região de muito movimento. São cerca de 500 pessoas por dia no inverno e mais de 700 durante a temporada de verão. A restauração começou com recursos da Secretaria de Desenvolvimento Regional da Grande Florianópolis e com a sua extinção, a Secretaria de Estado de Turismo, Esporte e Cultura foi a responsável pela continuidade dos repasses.

Saiba mais

- A Igreja da Ordem Terceira de São Francisco é a mais antiga das confrarias religiosas criadas na Ilha, tendo sido instalada em 1745;

- Sem um espaço próprio, ocupou durante 70 anos uma capela com sacristia privada anexa à Igreja Matriz;

- O terreno para a Igreja de São Francisco foi doado em 1754 à Ordem Franciscana pelo português, morador de Desterro, Domingos Francisco de Araújo;

 - A licença para a sua construção foi solicitada ao Príncipe Regente D. José em 1802 e no mesmo ano foi lançada a sua pedra fundamental;

- Em 1804 foram adquiridos seus portais e em 1819 recebeu os sinos;

- Em 1851, rumores de que as torres da igreja estariam ruindo determinaram fechamento das portas laterais.

Fonte: Prefeitura de Florianópolis

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade