Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Restauração da Hercílio Luz, em Florianópolis, deve ser concluída no 2º semestre de 2019

Imóvel no bairro Estreito impede o avanço da obra e liberação depende de uma decisão judicial

Michael Gonçalves
Florianópolis
26/06/2018 às 16H00

A restauração da ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, deve ser concluída após 12 meses da desapropriação de um imóvel no bairro Estreito, na cabeceira continental da estrutura. Assim, a primeira ligação entre o Continente e a Ilha deve ser liberada ao tráfego somente no 2º semestre de 2019. O prazo foi divulgado nesta terça (26) pelo secretário de Estado de Infraestrutura, engenheiro Paulo França, que ainda depende de uma decisão judicial para precisar as datas.

Segundo o secretário, a desapropriação está em fase de imissão de posse, aguardando o posicionamento de um magistrado. Inicialmente, a restauração deveria ser concluída em outubro deste ano e, depois, foi prorrogada até dezembro. O atraso ocorreu em função do último aditivo de R$ 37 milhões, assinado há duas semanas com a empresa portuguesa Teixeira Duarte.

Imóvel (verde) impede o avanço da obra e a demolição do antigo bloco de ancoragem - Daniel Queiroz/ND
Imóvel (verde) impede o avanço da obra e a demolição do antigo bloco de ancoragem - Daniel Queiroz/ND



Atualmente, uma empresa especializada em demolição começou a retirada do antigo bloco de concreto responsável pela ancoragem das barras de olhal. “Temos reuniões quinzenais com a empresa responsável pela execução da restauração e a nossa estimativa é terminar os trabalhos 12 meses após a liberação do último imóvel a ser desapropriado no Continente. Agora, dependemos de uma decisão judicial, porque o valor da desapropriação já foi depositado em juízo”, explicou o secretário.

Paulo França explicou que após a imissão de posse, um oficial de Justiça notifica o proprietário que terá o prazo de 30 dias para desocupar. Caso a notificação não possa ser realizada presencial, o prazo pode aumentar para 60 dias.

“Após a notificação do proprietário, o objetivo é buscar um consenso para antecipar a desocupação do imóvel. Na desapropriação ao lado, conseguimos ter acesso a propriedade em duas semanas. O local é fundamental para o andamento da obra, porque precisamos construir o bloco de ancoragem das barras de olhal”, esclareceu.

A ponte Hercílio Luz parou de receber veículos no início da década de 80, mas foi completamente fechada ao público em 1991.

Estrutura provisória deve ser aproveitada em outras obras

Com a finalização da restauração da ponte Hercílio Luz, o Governo do Estado estuda um plano para aproveitar a estrutura provisória, que atualmente sustenta a primeira ligação entre a Ilha e o Continente. Segundo o secretário de Estado de Infraestrutura, Paulo França, a estrutura tem uma tonelada de perfis metálicos.

“Não podemos apenas descartar os perfis, que são de propriedade do Governo do Estado. O nosso objetivo é aproveitar os perfis na realização de outras obras. Uma das opções é utilizar o material para a construção de pontes em estradas vicinais”, explicou o secretário.

Atualmente, a empresa portuguesa trabalha na manutenção e troca das longarinas e transversinas, na recolocação das barras de olhal, na pintura da estrutura e manutenção do tabuleiro.    

Publicidade

4 Comentários

Publicidade
Publicidade