Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Regularização dos combustíveis líquidos levará de sete a 10 dias na Grande Florianópolis

Segundo o presidente do Sindópolis, Lurran Nascimento de Souza, o consumidor deve ter o serviço regularizado em mais de uma semana

Michael Gonçalves
Florianópolis
29/05/2018 às 21H49

Para chegar ao tanque de combustível dos mais de 4 milhões de veículos registrados do Detran-SC (Departamento de Trânsito de Santa Catarina), a gasolina, o etanol, o diesel e o GNV (Gás Natural Veicular) realizam longos percursos por dutos, caminhões e até navios. Os combustíveis líquidos, que são extraídos de canaviais (etanol) ou do fundo dos oceanos (petróleo), chegam ao consumidor após vários processos. 

O etanol é extraído da produção de cana de açúcar, que é plantada em maior quantidade no interior de São Paulo e na região Nordeste. As usinas separam o açúcar e enviam o líquido alcoólico para as refinarias. O petróleo, que normalmente é extraído no fundo dos oceanos e é transportado de navio até as plataformas, também é beneficiado nas refinarias. O combustível consumido no Estado é produzido na refinaria Presidente Getúlio Vargas, em Araucária (PR).

Percurso do combustível  - Divulgação/ND
O combustível consumido no Estado é produzido na refinaria Presidente Getúlio Vargas, em Araucária (PR). - Divulgação/ND

O estado catarinense tem quatro distribuidoras: Biguaçu, Guaramirim, São Francisco do Sul e Itajaí. “Das refinarias até as distribuidoras, os combustíveis são transportados por dutos. Nas distribuidoras, o etanol é separado em hidratado, que é utilizado nos veículos, e o anidro, que é misturado à gasolina. Já a gasolina tipo A, quando misturada com o álcool anidro, se transforma em gasolina comum. A aditivada também é transformada na distribuição. Após esses processos, os combustíveis são transportados por caminhões até os postos de combustíveis”, afirmou o presidente do Sindópolis (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis), Lurran Nascimento de Souza.

O caminho mais tranquilo é percorrido pelo GNV, que depois de entrar no território brasileiro, passa pelos estados do Mato Grosso do Sul, São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul pelo gasoduto Bolívia - Brasil. “O consumidor de GNV tem a segurança do fornecimento contínuo em 123 postos. Quem não está próximo a rede é abastecido por cilindros, mas temos planos de ampliar a rede nos próximos anos”, explicou o coordenador do mercado automotivo da SCGás, Ronaldo Lopes.

Em Santa Catarina, 132 postos comercializam o gás veicular. A diferença é de que 123 postos são atendidos por dutos da SCGás e os outros nove recevem o combustível em cilindros.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade