Publicidade
Terça-Feira, 22 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

Quarto protesto contra a tarifa de ônibus ocupa as ruas do Centro de Florianópolis

Mesmo com chuva, 200 manifestantes se reuniram na frente do Ticen

Redação ND
Florianópolis

A quarta manifestação contra o aumento da tarifa de ônibus teve a participação de cerca de 200 pessoas no final da tarde desta quinta-feira (29), no Centro de Florianópolis. Mesmo com a chuva, o grupo se reuniu no canteiro central da avenida Paulo Fontes, em frente ao Ticen, com faixas, cartazes e instrumentos de percussão.

Como nos protestos anteriores, o primeiro destino dos manifestantes foi a sede da Prefeitura Municipal na rua Tenente Silveira. A via ficou bloqueada por volta das 18h30, ocupada pelo grupo. Guardas municipais ficaram na frente do prédio para garantir que nenhum manifestante entrasse no local. Os manifestantes ainda  jogaram ovos na fachada do prédio. 

De lá, mais de 200 pessoas retornaram para o Ticem com o acompanhamento da Polícia Militar. No terminal, os manifestantes invadiram a plataforma pelo portão lateral e bloquearam a entrada da PM. A ação gerou confronto com a polícia e algumas pessoas chegaram a ser atingidas com pancadas de cacetete.

Juliana Frandalozo/ND
Após invasão, PM liberou o acesso a plataforma A do Ticen

No portão de acesso da plataforma A do Ticen intermediadores negociaram o ingresso pacífico do restante do movimento e foram liberados pela polícia. Com a liberação do portão lateral de acesso à plataforma, pessoas entram no local sem o pagamento da tarifa.

Representantes do movimento fizeram protestos no local e retornaram para o acesso ao Ticen. Eles se reuniram em frente à plataforma B, onde realizaram mais um catracaço. A ação ainda contou com o apoio de pessoas desvinculadas à manifestação, que também pularam a catraca. Após inúmeras invasões, a PM bloqueou o acesso às catracas da plataforma B.

Juliana Frandalozo/ND
Integrantes bloquearam o acesso de alguns ônibus à base da plataforma

Por volta das 20h, o movimento retornou a plataforma A, onde fez uma assembléia no local. Integrantes bloquearam o acesso de alguns ônibus à base da plataforma, e no local pintaram frases pedindo a tarifa zero. Em seguida,  boa parte dos envolvidos dispersou e os organizadores encerraram a manifestação.

* Com informações da repórter Juliana Frandalozo.
Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade