Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Prova de velocidade sobre patins é opção para o domingo na Beira-Mar Continental, em Florianópolis

Evento deve reunir apaixonados pelo esporte a partir das 8h

Fábio Bispo
Florianópolis

O domingo (3) do feriado prolongado promete muita adrenalina e velocidade na pista da avenida Beira-Mar Continental, durante a 1ª Maratona e Meia Maratona de Santa Catarina. O evento promete reunir apaixonados pelo esporte. A prova de velocidade, que será realizada em duas modalidades, 21 quilômetros na meia maratona e 42 quilômetros na maratona, começa às 8h. Durante toda a manhã, acontecerão ainda aulas de patinação gratuitas. Para encerrar, das 10h30 às 12h a pista estará liberada para todo o público que quiser fazer um grande passeio de patins. O evento é organizado pela Federação Catarinense de Hóquei e Patins.

Flávio Tin/ND
João Vicente organiza o evento e é tetracampeão na categoria speed

João Vicente, 37, organizador do evento e tetracampeão brasileiro na categoria speed, a prova de velocidade sobre patins, diz que o evento pretende divulgar o esporte que ganha cada vez mais adeptos na região. “É uma coisa natural, quando se tem espaço para andar de patins percebemos que as pessoas praticam mais o esporte”, afirma. Ele espera pelo menos 60 participantes na prova, e acredita que o espaço cedido para o evento deve reunir iniciantes e praticantes esporádicos. “Vamos ter aula de roller para quem quiser aprender e a partir das 10h30 a pista estará liberada”, informa. As inscrições para quem topar encarar o desafio estarão abertas até às 7h40 de domingo no local do evento por R$ 50.

Na sexta-feira (1), os patinadores da região fizeram o último treino geral antes da prova. “Disputo provas há um ano, mas sempre gostei de patinar. Conheci o Vicente na Beira-Mar Norte, vi ele patinando com velocidade e decidir que queria disputar também”, conta o argentino Carlos Perotti, 70, que é campão brasileiro na categoria gold. O objetivo para o próximo ano é conseguir realizar uma etapa do sul-americano para Florianópolis.

Os patins ganharam fama no Brasil em 1994, quando o modelo Tarmac-CE (patins in-line) ganhou destaque e o esporte grande ascensão no país. Segundo Vicente, o esporte tem ganhado espaço entre os adeptos da bicicleta por trabalhar o mesmo quadro muscular, além de ser incentivado com a criação de novos espaços para a patinação. Nas competições, os patinadores alcançam até 40 km/h.

 

Diferenças entre os modelos

Detentor de quatro títulos brasileiros e um 5º lugar na maior prova de patinação do mundo, em Berlin, Vicente inspira novos participantes. “Comecei a patinar velocidade em 2008 e em 2010 ganhei o primeiro brasileiro”, disse. “Atualmente existem diversos grupos de patins na região, mas a falta de estrutura adequada para o esporte é o que mais dificulta novos praticantes”, emenda.

Vicente explica que existem diferenças entre os patins de competição e os de passeio. Além de acabamento ergométrico e peças em fibra de carbono, o tamanho e o número de rodas também é diferente. “Quem quer começar no esporte pode começar com rodas de 100 milímetros de diâmetro”, conta. Com este equipamento, mesmo quem nunca andou de patins conseguirá facilmente se equilibrar e arriscar as primeiras passadas. O equipamento profissional varia entre R$ 1.800 e R$ 2.000.

O capacete também é obrigatório, ficando a critério do atleta demais equipamentos de proteção, como viseira, joelheira, caneleira e cotoveleira. “Aí entra a relação peso/potência. Quanto mais equipamento, mais peso para o atleta”, explica. A maioria dos competidores (99%) utilizam patins com quatro rodas de 110 milímetros, mas o futuro do esporte são os patins com três rodas de 125 milímetros.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade