Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Propostas e troca de farpas marcam o debate com candidatos à Prefeitura de Florianópolis

Candidatos Angela Amin (PP) e Gean Loureiro (PMDB) responderam perguntas no programa da Record News

Daiana Constantino
Florianópolis
24/10/2016 às 11H27

Compromissos de campanha e troca de farpas dominaram o discurso dos candidatos a prefeito de Florianópolis Angela Amin (PP) e Gean Loureiro (PMDB), no debate realizado pela Record News, na noite deste domingo (23). Os assuntos plano diretor, reforma da previdência, Comcap, acessibilidade, transporte coletivo, centros de educação infantil, atendimento nos postos de saúde foram alguns dos temas abordados ao longo de 1h10 programa. Os políticos formularam perguntas e responderam questionamentos do apresentador Paulo Alceu, assim como de colunistas e jornalistas do Grupo RIC. A eleição do segundo turno será no próximo domingo (30).

Angela e Gean participaram do debate do segundo turno - Daniel Queiroz/ND
Angela e Gean participaram do debate do segundo turno - Daniel Queiroz/ND



Os dois candidatos  disseram ser favoráveis a municipalização da rodovia SC-401. Mas antesde assumir a rodovia, Angela afirmou que quer garantir que obras maiores sejam realizadas pelo governo do Estado. “O município é mais ágil para fazer recuperação e manutenção, mas são necessárias obras importantes, cujo custo é bastante elevado”, observou. Gean também se posicionou: “Pode, sim, municipalizar desde que tenha compromisso do governo do Estado para investimentos e garanta a segurança à população.”  

Por outro lado, os dois divergiram sobre a forma de atendimento à população no serviço de marcação de consulta médica na rede pública. Gean disse que irá criar o Alô Doutor, mas sem “transferir a fila da madrugada para o computador”. Angela prometeu humanizar o atendimento com o serviço prestado pelos funcionários do sistema público. “Acho muito triste transferir a fila para um call center.  O cidadão precisa ter sequência com atendimento humanizada e não por telefone. Será nosso desafio, como foi com o Capital Criança", criticou. 

>> Confira o debate de Joinville

Momentos do debate também foram usados pelos candidatos se defenderem de acusações, principalmente de temas abordados nos programas de rádio e TV. Angela voltou a reforçar que são mentirosos os ataques de que na época em que governou a cidade sua administração exterminou cães. Gean se defendeu no caso de uma ação que tratava sobre as estações de tratamento de esgoto da Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento), referente ao período que respondeu pela presidência da Fatma.

Gean propôs à adversária um pacto para que a última semana de campanha seja dedicado apenas ao debate de propostas, deixando de lado as acusações e críticas. Angela disse que vêm recebendo ataques pessoais desde o primeiro turno e disparou: “Não vou pactuar com algo que impeça de me defender e irei até as últimas consequências na busca verdade.” O peemedebista enfatizou que, se dependesse dele, esse acordo já seria firmado ao vivo durante o debate. 


Assista ao debate

Principais pontos do debate 

Acusações e pacto

Quando estimulados a apontar virtudes de seus adversários, Gean destacou a posição de liderança da concorrente. Já Angela afirmou que era dever do eleitorado realizar o julgamento sobre as qualidades. O peemedebista aproveitou o espaço para propor um pacto de não agressão. A pepista respondeu que seria injusto aceitar a proposta a poucos dias da eleição, pois a candidata considerou que foi duramente criticada desde o primeiro turno. Agora, irá “até as últimas consequências” para se defender e “provar a verdade”.

Tecnologia e turismo

Os dois candidatos afirmaram que o prefeito deve ouvir entidades e associações que trabalham com tecnologia e turismo. Gean afirmou que buscará novos investimentos e capital para gerar oportunidades de trabalho. Para isso, prometeu trabalhar para reduzir a burocracia e insegurança jurídica que empresas encontram para se instalarem. Angela lembrou feitos de sua adminitração, como o projeto Sapiens. E afirmou que pretende retomar a implantação do Pro-cidadão, “para facilitar a vida de quem quer investir na cidade”.

Saúde pública

Na saúde, Gean destacou o projeto “Alô Doutor”, para agendamento de consultas por telefone e internet, além da contratação de novos profissionais “para não transferir a fila da madrugada para a internet”. Angela criticou a proposta, ao afirmar que encaminha o atendimento dos pacientes para um call center. A candidata afirmou que vai ampliar o horário de funcionamento dos postos de saúde e repetir ações de sua gestão como prefeita, como o projeto “Capital Criança”. Gean rebateu as criticas, ao afirmar que a candidata havia divulgado uma proposta similar para o agendamento de consultas com o uso da tecnologia.

Previdência

Para Angela, o problema não é apenas municipal. Prometeu analisar as propostas que devem ser enviadas ao Congresso pelo governo federal. Sobre a junção dos fundos, considerou que estudos são necessários para levar a questão adiante. Gean lembrou que a junção dos fundos seria uma manobra para cobrir a grande dívida previdenciária. Buscará capitalizar os fundos, ao localizar ativos da prefeitura que possam ser vendidos.

Plano diretor

Para Angela, o plano diretor é uma peça importante para a administração, que deve ser aprovado com a compreensão da população. A candidata prometeu uma discussão e apresentação do plano à comunidade. Gean afirmou que o prefeito não deve apenas encaminhar a proposta para o Legislativo, como também acompanhar as deliberações e alterações. Ao lembrar que a aprovação foi atrasada por ação do MPF, o candidato destacou que é necessário segurança jurídica sobre o tema, e, por isso, “participação direta do Executivo”.

Público-privado

Questionados sobre parcerias com empresas privadas, os candidatos afirmaram que contratos dessa natureza são necessários para tornar serviços mais eficientes. Angela lembrou do projeto “Capital Criança”, que contou com convênio com empresas para realização de alguns procedimentos de saúde. Gean afirmou que a prefeitura deve atrair capital privado, não apenas oferecer recursos públicos para que empresas se instalem na Ilha. E destacou que o investidor deve levar em conta a “contrapartida da coletividade”.

Mobilidade

Angela defendeu a integração dos terminais urbanos, enquanto Gean destacou proposta para o aumento da oferta de linhas diretas ligando as regiões. A pepista afirmou que o projeto apresentado para mobilidade durante a sua gestão previa a melhor integração entre ônibus, vans e outros meios. Angela prometeu realizar estudos junto de técnicos do Ipuf para retomar a integração e reforçar o uso das ciclovias, “não apenas ciclofaixas”. Gean defendeu que os terminais estão em lugares impróprios e dificultam os deslocamentos de ônibus. Também disse que a população acaba optando por trajetos mais demorados para chegar ao centro de ônibus devido à falta linhas diretas.

Comcap

Angela afirmou que recebeu a empresa em crise quando assumiu como prefeita. “Tanto que terceirizamos o atendimento no Sul da Ilha à época”, disse. Gean é contra a privatização, defende a Comcap 100% pública e considerou que a empresa não pode se limitar à coleta de resíduos urbanos, sugerindo a ampliação do serviço para a coleta de resíduos da construção civil, por exemplo.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade