Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Projeto catarinense revela jovens talentos na criação de jogos

Encerramento da sétima edição contou com apresentação de ideias de 60 participantes

Raquel Cruz
Florianópolis

São jovens – alguns começam antes dos 10 anos de idade – gostam de jogos de computador ou de programação e dedicam horas do dia em função disso. Esse é o perfil de quem promete impulsionar um mercado promissor em Santa Catarina, o de criação de jogos para computador. Na tarde desta terça-feira (15) mais de 60 adolescentes com essa mesma ideia na cabeça apresentaram seus primeiros trabalhos no encerramento do projeto Novos Talentos SC Games, em Florianópolis. A proposta, que chega à sétima edição, é incentivar jovens com esse perfil a se qualificarem na área e fomentarem o mercado. Santa Catarina está entre os quatro primeiros estados do Brasil quando o assunto são games.

Eduardo Valente/ND
Projeto envolve crianças e jovens que estão a um passo de entrar no mercado de trabalho


O projeto envolve crianças e jovens que estão a um passo de entrar no mercado de trabalho – desde os oito até os 19 anos.

Enquanto um grupo pensa nas imagens e nas questões gráficas do jogo, o outro se dedica a fazer a programação e as questões técnicas que fazem o jogo funcionar.

No fim do treinamento – que tem início no mês de março – os projetos são apresentados para profissionais e interessados da área e, mais tarde, podem ser disponibilizados na internet.

De olho no mercado, o diretor da Vertical de Games da Acati (Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia da Informação), Dennis Kerr Coelho, é um dos empresários que acompanha de perto o projeto.

“A gente busca jovens que estejam se qualificando. Quando saem daqui, eles podem tanto se encaminhar para a área de jogos, quanto trabalhar em uma empresa de TI [tecnologia da informação]”, aponta.

Um exemplo desse perfil é Bruno Henrique Colin, de 22 anos, que foi estagiário do projeto em duas edições e não deixou a iniciativa terminar por aí. Recém-formado na área de design de jogos, ele já está inserido no mercado de trabalho em uma empresa do ramo da tecnologia.

“Se engana quem pensa que é só para gente jovem. Tem gente de 28, 30 anos que trabalha com isso. A diferença é que a área começou a expandir mesmo de 2010 para cá”, avalia Bruno.

Em Santa Catarina, existem hoje cerca entre 20 e 25 empresas em atuação só na área de criação e programação de jogos – 16 delas em Florianópolis, sem contar funcionários que prestam serviço como autônomos para projetos temporários.

Para se ter uma ideia, de acordo com o último levantamento feito pela ACATI, as empresas catarinenses da área de TI – entre elas as de jogos – são responsáveis pelo movimento de R$ 1,5 bilhão.

Tecnologia no combate à dengue

O projeto, comandado pelo Ciasc (Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina) em parceria com diversos órgãos governamentais, promete ganhar um novo propósito a partir do ano que vem: ajudar no combate à dengue, ao zica vírus , à chikungunya – todas as doenças provocadas pelo mosquito Aedes Aegypti.

Na edição do ano que vem, lançada nesta quarta-feira, os jovens recrutados para participar do projeto deverão criar o personagem de combate à dengue que, mais tarde, ganhará vida em um game sobre as ações de prevenção e eliminação do mosquito transmissor.

“A proposta é multiplicar a ideia, sobretudo com esse público que leva para casa essa iniciativa”, avalia a coordenadora do núcleo de comunicação da Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado), Letícia Wilson.

Desde o início, o projeto já formou mais de 400 crianças e toda a formação – que vai de março a dezembro – é oferecida de forma gratuita.

Interessados em se inscrever no projeto podem entrar em contato com os organizadores pelas redes sociais.

Eles estão na página “Projeto Novos talentos – SC Games” no Facebook. Inscrições para atividades realizadas ao longo do ano também podem ser feitas pela página.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade