Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Procurador de Justiça e amigo morrem atropelados na Beira-Mar de São José

De acordo com o Ministério Público, os dois foram atingidos por um carro em alta velocidade durante a madrugada; segundo a PM, motorista estava com sinais de embriaguez

Redação ND
Florianópolis
01/09/2017 às 16H45

O procurador de Justiça Aor Steffens Miranda, 50, morreu na madrugada desta sexta-feira (1º) ao ser atropelado na avenida Beira-Mar de São José. Ele estava acompanhado por um amigo, o engenheiro civil João Carlos Schultz, que também morreu no local. No domingo (3), o promotor completaria 51 anos. 

De acordo com o Ministério Público, os dois saíam de uma partida de futebol quando foram atingidos na calçada por um veículo desgovernado e em alta velocidade que os arrastou por uma distância de 60 metros. O velório de Aor acontece a partir das 11h30 na capela do Jardim da Paz, em Florianópolis e o sepultamento será às 9h de sábado (2) no mesmo local. 

Segundo a assessoria de imprensa do Crea-SC (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina), João Carlos tinha 36 anos e deixa uma filha de dois anos. O velório do engenheiro ocorre a partir das 14h desta sexta-feira (1) na capela B, no Cemitério do Itacorubi.

Aor Steffens Miranda e João Carlos Schultz morreram na madrugada desta sexta-feira - Divulgação/Redes Sociais/Arquivo/ND
Aor Steffens Miranda e João Carlos Schultz morreram na madrugada desta sexta-feira - Divulgação/Redes Sociais/Arquivo/ND


Conforme o Copom (Centro de Operações da Polícia Militar), a ocorrência foi registrada por volta das 2h20. As primeiras informações são de que o motorista do carro, que estava em uma Mercedes Benz C 180, estava visivelmente embriagado, mas permaneceu no local. Ele também já foi identificado e tem 35 anos. Ele foi levado para atendimento médico em um hospital e ainda não prestou depoimento à Central de Polícia de São José.

Segundo o Ministério Público, Aor ingressou em 1990 como Promotor de Justiça em Joinville. Passou pelas comarcas de Anita Garibaldi, Santa Cecília, Canoinhas, Criciúma, Itajaí e na Capital. Em 2016 tomou posse como Procurador de Justiça. 

O governador Raimundo Colombo comentou, na manhã desta sexta (1), a morte de Aor. "Tinha muita admiração pelo seu trabalho, me solidarizo com a família e espero que a Justiça seja rigorosa na apuração deste caso, profundamente lamentável", pontuou.

O MPSC decretou luto oficial de três dias em respeito à morte do procurador.

Mais rigor nas fiscalizações

O Procurador-Geral de Justiça de Santa Catarina, Sandro José Neis, lamentou a morte do colega. "O Ministério Público efetivamente está de luto. Perdemos um irmão, um grande membro do Ministério Público brasileiro, uma pessoa que era referência para todos nós" afirmou.

Neis também lembrou os recentes casos de atropelamento envolvendo motoristas embriagados em Florianópolis, ressaltando que o Ministério Público está tomando providências para a redução de acidentes semelhantes. "O MP não está preocupado só com a morte do doutor Alaor. Todos os acontecimentos recentes no Estado levaram ao Ministério Público. Eu especialmente estive reunido com o comandante geral da Polícia Militar solicitando a realização de blitze, que foram realizadas, inclusive, nas últimas semanas na SC-401. A preocupação não pode ser apenas com uma pessoa, mas ela tem que ser com a regular prestação de serviço do Estado", acentuou.

"É inadmissível que pessoas embriagas passem na frente de um posto da Polícia Rodoviária Militar e isso não seja identificado, e essa pessoa venha a cometer um grave crime alguns quilômetros a frente. Por isso levamos ao comando da Polícia Militar e ele, de pronto,  acolheu o nosso pedido e passou a realizar as blitze em setores e pontos estratégicos do território de Florianópolis", finalizou.

Crea-SC lamenta morte de engenheiro

No início da tarde desta sexta-feira, o Crea-SC divulgou uma nota de falecimento, lamentando a morte do engenheiro civil e do procurador. Segundo o comunicado, João Carlos Schutz era natural de Florianópolis e filho do também engenheiro civil José Carlos Fortunato Schut. O profissional autônomo era um dos responsáveis técnicos pelo empreendimento Ponta do Leal, no Balneário Estreito, em Florianópolis.

Leia a nota na íntegra

O CREA-SC informa com pesar as mortes do Eng. Civil João Carlos Schultz, 36 anos e do procurador de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) Aor Steffens Miranda, 50 anos. Eles foram atropelados na Avenida Beira-Mar de São José, por volta das 2h15min desta sexta-feira quando conversavam próximo dos seus carros após saírem de uma partida de futebol. Uma Mercedes C180 invadiu a calçada e parou 60 metros depois do local do acidente, após colidir contra um muro.
João Carlos Schutz era natural de Florianópolis e filho do também Eng. Civil José Carlos Fortunato Schut, trabalhava como profissional autônomo e era um dos responsáveis técnicos pelo empreendimento Ponta do Leal, no Balneário Estreito, em Florianópolis. Natural de Porto Alegre, Aor Steffens Miranda foi reconhecido por atuar em causas de combate a fraudes no poder público durante sua carreira na instituição catarinense.
O velório acontece a partir das 14h na capela “B” do cemitério do bairro Itacorubi.

Publicidade

7 Comentários

Publicidade
Publicidade