Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

Procon de São José identifica golpe do empréstimo via aplicativo

Pessoas lesadas pelos golpistas, que solicitam o pagamento de taxas de abertura de crédito, estão sendo atendidas diariamente pelo órgão

Redação ND
Florianópolis
12/04/2018 às 19H45

O Procon de São José identificou uma nova modalidade de golpe que vem chamando atenção pela quantidade de pessoas lesadas nos últimos meses. São os empréstimos via aplicativos de mensagens, em que a pessoa recebe ofertas de empréstimos com facilidades via e-mail, site de compras ou redes sociais.

“Temos atendido diariamente pessoas que foram lesadas por este golpe”, alerta o diretor do Procon de São José, Fabrício Vieira. Os golpistas utilizam indevidamente nomes de instituições financeiras conhecidas. No entanto, repassam o número do CNPJ de empresas constituídas fora do país e de difícil identificação.

O golpe ocorre quando o golpista pede que o consumidor deposite um valor para pagar uma TAC (taxa de abertura de crédito), prática que é vedada pelo Banco Central, mas que, por falta de conhecimento, continua ocorrendo. Em um segundo momento, o golpista pede mais um depósito para que o “escore” do consumidor (um “ranking” que vai de 0 a 1000) aumente a confiabilidade de que o consumidor pagará com suas obrigações, o que facilitaria a liberação de crédito. “Os golpistas não informam números de contas para depósito, mas fornecem números de códigos de barra para que o consumidor faça o pagamento.”, conta Fabrício. Segundo ele, há relatos de pessoas que solicitaram empréstimos de R$ 20 mil e já haviam depositado quase R$ 5 mil.

Atenção por parte do consumidor

Fabrício enfatiza que em todo contrato bancário existem regras, portanto é preciso ter cuidado redobrado diante das alegadas facilidades financeiras. “Os estelionatários oferecem uma série de vantagens na internet, jornais e site de vendas, até sem consulta ao SPC (Serviço de Proteção ao Crédito)”, explica. Ele orienta ainda que o solicitante nunca faça pagamentos antecipados. “Não existe pagamento de entrada. Se contratou pela internet solicite descontar do valor a ser recebido. Além disso, nenhum banco aceita pagamentos por fora”, finaliza.

Antes de formalizar qualquer contrato de empréstimo, a orientação é que o solicitante faça uma pesquisa em sites confiáveis de proteção ao crédito para saber se há reclamações referentes às instituições que estão oferecendo empréstimos com muitas facilidades. "Caso precise de empréstimos, o mais indicado é que o consumidor procure instituições financeiras conhecidas e não se deixe levar por promessas que dificilmente serão cumpridas", complementa o diretor do Procon de São José.

Publicidade

3 Comentários

Publicidade
Publicidade