Publicidade
Sábado, 18 de Novembro de 2017
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 21º C

Primeiras estacas são colocadas para construção do trapiche do João Paulo em Florianópolis

As estruturas darão suporte à estrutura foram colocadas nesta terça-feira

Redação ND
Florianópolis
14/11/2017 às 19H02

As primeiras estacas centrifugadas de concreto que darão suporte ao trapiche do João Paulo começaram a ser cravadas na tarde desta terça-feira (14). Fabricadas sob medida para as obras, elas chegaram pela manhã de carreta no canteiro de obras da prefeitura e precisaram ser transportadas até a praia por caminhões menores por causa das dificuldades de acesso.

Nos próximos cinco meses os serviços de cravação das estacas serão realizados, inicialmente, por terra e, na sequência, com o apoio de uma balsa flutuante no mar. Após esta etapa, vai acontecer o processo de construção das vigas e lajes da estrutura do trapiche em si. O prazo total das obras é de 10 meses, a partir da entrega da ordem de serviço à construtora Concretil, vencedora de licitação na modalidade concorrência, que foi assinada pelo prefeito Gean Loureiro no dia 25 de setembro.

Estacas foram colocadas no bairro João Paulo -  Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/ND
Estacas foram colocadas no bairro João Paulo - Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/ND


O trapiche será construído na altura do final da Servidão Nonô, próximo da Associação dos Pescadores do João Paulo e dos ranchos de pescadores artesanais da região, que pleiteavam as obras há mais de 20 anos. A estrutura possibilitará que eles atraquem seus barcos no mar sem risco de encalharem na lama, bem como passar a tirar com mais facilidade das embarcações os produtos que obtiverem da pesca. Ao todo, 87 pescadores serão beneficiados.

O projeto está orçado em R$ 2,8 milhões, sendo R$ 2,3 milhões do governo federal, e o restante, recursos próprios da Prefeitura. Está prevista a execução de um píer de concreto pré-moldado com 210 metros de extensão, 3,75 metros de largura e até dois metros de profundidade, dependendo da maré. Além da instalação de uma “linha flutuante”, ou seja, um equipamento que também vai acompanhar o movimento da maré, que será fixado ao trapiche, sendo que tal estrutura vai facilitar o embarque e desembarque de pessoas e a carga e descarga dos produtos relativos à pesca.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade