Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Presidente da Assembleia Gelson Merísio decide extinguir Junta Médica da Casa

Deputado anunciou medida nessa segunda-feira, em meio ao escândalo das aposentadorias por invalidez do parlamento

Marcelo Tolentino
Florianópolis
Reprodução RIC/ND
Aposentado Valter Clementino diz que os deputados deveriam esquecer essa polêmica

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gelson Merísio, anunciou nessa segunda-feira que irá extinguir a Junta Médica da Casa por meio de projeto de resolução. A matéria deve ser apreciada nessa terça-feira pela Mesa Diretora e votada na quarta. Os médicos do setor passarão a integrar o restante da equipe nas demais atividades. Os servidores passarão a ser atendidos pela Junta Médica do Estado

A medida do presidente está ligada aos indícios de irregularidade apontados em 109 aposentados por invalidez da Assembleia, após os novos laudos feitos pela Junta Médica do Estado, a pedido do Iprev (Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina).  “Isso coloca em dúvida processos que correram ao longo do tempo. Se temos 16 servidores que apresentaram plena saúde isso demonstra falta de credibilidade e que alguém se equivocou”, argumentou o deputado.

Segundo ele, os aposentados por invalidez com mais de 60 anos que não tiveram doença comprovada poderão voltar ao trabalho, com exceção de Odete da Silva, 77 anos, que deve ter a aposentadoria por invalidez revertida para compulsória.

Dos 16 aposentados saudáveis convocados pela Assembleia para retornar ao trabalho, dois teriam se apresentado informalmente ao Recursos Humanos e seis ligado para pedir informações. Eles têm sexta-feira para se apresentar. Do contrário eles terão o benefício cortado. Todos os casos com indícios de irregularidade sofrerão processo administrativo individualizado.

Aposentado coloca culpa na Junta Médica da Assembleia

Um dos 16 aposentados saudáveis convocados pela Assembleia para voltar ao trabalho, Valter Clementino Pereira, 64 anos , argumenta que se aposentou por invalidez, em 2001, por orientação da Junta Médica da Casa. Na época, enfrentava problemas de depressão, provocados por problemas pessoais. Três meses depois ele se curou e ingressou com pedido de aposentadoria por tempo de serviço. “Mas a junta disse para não mexer. Para permanecer como inválido”, garantiu ele, que tem 19 anos de serviços prestados ao parlamento.
Também lembrou, em entrevista, que não pegou isenção imposto e não quitou financiamento usando o benefício. “Qual é o erro que estou cometendo?”, questionou ele, que fez um novo pedido de aposentadoria compulsória. “Mas não tenho problema em voltar a trabalhar na Assembleia até os 70 anos”, ressaltou ele, que é jornalista e comanda há cinco anos um programa na Primer TV, canal 28 do Viamax, em São José.

Aposentado dispara contra Jailson Lima

Em julho, quando estourou o escândalo das aposentadorias por invalidez, Valter Clementino Pereira disparou no ar, durante programa, contra Jailson Lima (PT), que fez a denúncia.
“O cidadão catarinense precisa de projetos, senhor Jailson, deputado do PT, da Assembleia Legislativa, enquanto o senhor está preocupado com os aposentados da Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Os aposentados, eu acho que não têm culpa da aposentadoria deles. Quem fez a lei? Não foi os funcionários, não foi os aposentados, não foi a guarda da Assembleia que fez a lei”, disse ele no programa.

Pelo Facebook, Jailson Lima lembrou que, na época, o aposentado elogiou a iniciativa da denúncia. “Agora, volta-se contra a ação legítima de fiscalização que venho realizando no âmbito da Alesc. Isso tudo porque seu nome está na lista dos aposentados irregulares. Que demagogia, hein?”, rebateu ele.

 

 



Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade