Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Prefeitura muda proposta, mas servidores recusam e continuam a paralisação na Capital

Categoria não aceitou o desconto de dias parados e parcelamento de reposição salarial

Redação ND
Florianópolis
04/05/2018 às 17H58

A Prefeitura de Florianópolis apresentou uma nova proposta aos servidores municipais, nesta sexta-feira (4), mas ela foi recusada pela categoria, que deve permanecer em greve.

Para que os funcionários públicos da educação e da saúde voltassem ao trabalho na próxima segunda (7), a Prefeitura propôs gerar uma folha de pagamentos complementar, pagando o salário de abril integralmente. Porém, o desconto de cinco dias de paralisação seria feito parceladamente, um dia por mês, nos próximos cinco meses a partir de maio. E o restante poderia ser
compensado com reposição, sem afetar o ano letivo e sem gerar novos descontos.

Quanto à multa aplicada ao sindicato, de R$ 100 mil por dia, a Prefeitura propõe que o Sintrasem (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis) invista em viagens de estudo e pesquisa para os estudantes da rede municipal de ensino, além da capacitação dos servidores, com a comprovação posterior.

Em relação à Data-base, foi proposto um reajuste de 2% referente à reposição da inflação, parcelado em dois meses e condicionados ao limite prudencial com a folha de pagamento.

No vale-alimentação, o município quer aumentar 5% no próximo mês. E nas promoções, a prefeitura propôs iniciar o pagamento (mas não disse quando), condicionado ao limite prudencial, e de acordo com a ordem cronológica dos pedidos. Será previsto R$ 100 mil por mês para as promoções.

Não agradou

Servidores rejeitam por unanimidade a nova proposta da Prefeitura da Capital - Sintrasem/Divulgação
Servidores rejeitam por unanimidade a nova proposta da Prefeitura da Capital - Sintrasem/Divulgação


As propostas foram recebidas com vaias pelos servidores, em assembleia realizada no início desta tarde, e eles decidiram por unanimidade continuar o movimento grevista. Segundo o Sintrasem, a proposta de corte de salários, reajuste sem previsão de pagamento e a continuidade da implantação das OS no serviço público, mostra que a prefeitura ignora a mobilização dos trabalhadores.

Após a assembleia, os servidores seguiram em passeata até o gabinete do prefeito. Eles voltam a se reunir em assembleia na segunda (7), às 13h30.

A Prefeitura informou que ainda não há agenda para uma nova rodada de negociações.

Publicidade

12 Comentários

Publicidade
Publicidade