Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Prefeitura de Florianópolis rescinde contrato com empresa que construiria anel viário

O contrato foi quebrado depois que a empresa solicitou um aditivo de R$ 3,2 milhões

Redação ND
Florianópolis
08/11/2017 às 16H43

A Prefeitura de Florianópolis vai rescindir, de comum acordo, o contrato no valor de cerca de R$ 37 milhões com o consórcio Alves Ribeiro/Conpesa, responsável pelas obras de construção do primeiro trecho do corredor exclusivo do "Rapidão", sistema de ônibus BRT, que faz parte da implantação do anel viário no entorno do Maciço do Morro da Cruz. O consórcio solicitou aditivo no valor de R$ 3,2 milhões para reequilíbrio do contrato em razão das adequações necessárias ao projeto, bem como para custear a administração local das obras, e a Procuradoria Geral do Município referendou entendimento da secretaria de Infraestrutura de que isto não seria viável. Desta forma, as partes compreenderam que seria o caso de um novo processo licitatório para contratação de outra empreiteira com vistas a dar continuidade ao trabalho.

Na manhã desta quinta-feira, apenas dois funcionárias trabalhavam na obra do corredor de ônibus na Beira-Mar Norte  - Flávio Tin/ND
O prazo de entrega da obra é de 3 anos - Flávio Tin/ND

Segundo prefeito Gean Loureiro rescisão do contrato - que havia sido firmado em maio de 2016 para a entrega das obras em um prazo de três anos - vai acontecer somente após a total desmobilização do canteiro de obras pela empresa, quando, então, será lançado o edital, que já está sendo preparado. A expectativa é a de que isto seja possível ainda neste ano. "É nosso compromisso entregar a obra para a população dentro do prazo e eles não estavam cumprindo o acordo", disse Gean Loureiro.

A implantação do anel viário é tida como a maior intervenção de mobilidade urbana focada no transporte público coletivo da história da Capital. Até o momento, foram executados parte do que estava previsto para o primeiro e o segundo segmentos do trecho, nas proximidades da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). No primeiro segmento, correspondente a 300 metros de extensão da Avenida Professor Henrique da Silva Fontes, entre o trevo do Hospital Univervitário (HU) e o início da Rua João Pio Duarte Silva, a principal via de acesso ao Córrego Grande, no trevo da Dona Benta, 200 metros da nova pista, de concreto, está parcialmente pronta, uma vez que ainda será feito alargamento de faixa e construída estação dupla de embarque e desembarque, entre outras benfeitorias. Já no segundo segmento, de aproximadamente 1.000 metros entre o trevo da Dona Benta e a rótula da Eletrosul, em terreno cedido à Prefeitura pela UFSC, na Rua Deputado Antônio Edu Vieira, já foi concluída a drenagem e a terraplenagem para a construção da nova pista.

O primeiro trecho do anel viário, também chamado de trecho Sul, irá do trevo do HU até a entrada do Terminal de Integração do Centro (TICEN), via Pantanal, numa extensão de sete quilômetros. Já o recursos para a sua realização são oriundos de financiamento da Caixa Econômica Federal, por meio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Para a execução de todo o anel viário, está previsto um investimento da ordem de R$ 162 milhões, valor que será financiado em sua totalidade pela mesma instituição financeira. Serão 17 quilômetros de sistema "Rapidão" com estações centrais, ladeado de uma pista com duas faixas nos dois sentidos, bem como de passeio e ciclovia - os quais serão revitalizados e implantados nos locais onde não houver, além de novas interseções nas interferências com o sistema viário local.

Publicidade

7 Comentários

Publicidade
Publicidade