Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Prefeito de Chapecó admite conversas para renúncia ao cargo e posse na presidência do Badesc

José Caramori (PSD) está em tratativas com o governador Raimundo Colombo (PSD) e pode assumir o cargo ainda este ano

Rafael Thomé
Florianópolis

O Badesc (Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina) pode ter um novo presidente ainda em 2015. Em tratativas com o governo estadual, o prefeito de Chapecó, José Caramori (PSD), deve assumir o cargo ocupado por Olívio Karasek Rocha desde que Welington Bielecki deixou a agência para assumir a prefeitura de Mafra, em julho deste ano. Caso a oportunidade seja confirmada, Caramori terá que renunciar ao cargo de prefeito e passar a faixa para seu vice, Luciano Buligon (PSB).

Arquivo/ND
Caramori diz que decisão tem peso, mas que vice daria continuidade à gestão local

 

O convite do governador Raimundo Colombo (PSD) não foi oficializado, mas Caramori dá indícios de que isso deverá ocorrer em breve. “Houve conversas e consultas quanto a essa possibilidade. Um convite desses tem um peso muito importante, já que o Badesc é uma referência para Santa Catarina e para o Brasil como um elemento propulsor para a economia. Se houver o convite formal, naturalmente vamos considerar com muita responsabilidade”, afirmou.

Prestes a entrar no último ano de mandato à frente da prefeitura da maior cidade do Oeste catarinense, Caramori acredita que esta é um oportunidade única que se apresenta e que a população compreenderá uma eventual renúncia. “A comunidade entenderá que se trata de uma missão importante, com possibilidades de ganhos para a região. Não estou em busca de cargo, mas, se confirmando, darei apoio integral ao vice-prefeito para a conclusão do nosso mandato sem que a cidade sofra com a descontinuidade”, disse.

Impedido de tentar a reeleição para a prefeitura de Chapecó por estar em seu segundo mandato (eleito vice-prefeito em 2009, assumiu o cargo em 2010 depois que João Rodrigues renunciou para concorrer a deputado federal), José Caramori prefere não especular sobre seu futuro na política, apenas cumprir aquilo com o que se comprometeu. “Tive diversas experiências na administração pública, sempre com responsabilidade e devoção. Haverá tempo até 2018, nas próximas eleições, para ver como fica o cenário nacional e quais as opções que o meu partido poderá disponibilizar. Meu projeto, no momento, é cumprir minhas missões”, comentou.

Dificuldades em tempos de crise

Além da prefeitura de Chapecó, se confirmado seu nome para a presidência do Badesc, José Caramori terá que renunciar, também, à presidência da Fecam (Federação Catarinense dos Municípios). Representante das administrações públicas em todo o Estado, o pessedista esteve na Capital, na última quinta-feira (29), para debater a crise econômica dos municípios. “É um momento de muita preocupação. As receitas estão caindo vertiginosamente e, para não ferir a lei da responsabilidade fiscal, não há saída senão a diminuição de despesas”, avaliou.

Para Caramori, cortar gastos é sempre preocupante porque, na maioria dos casos, afeta os principais serviços oferecidos pelas administrações públicas. “Todos os prefeitos do Brasil estão fazendo o possível para reduzir essas despesas sem que atrapalhe ou afete a prestação de serviços à comunidade, mas não é fácil. Mantemos como prioridade a Saúde e a Educação, mas é provável que algum outro serviço seja prejudicado”, afirmou.

Em sua avaliação, as dificuldades que os prefeitos têm encontrado é um reflexo do momento político-econômico conturbado do país. “A crise não foi provocada por nós, mas temos que passar por ela. Somos contra aumento de impostos, porque essa conta não deve ser paga pelo povo brasileiro, mas temos que obedecer a lei de responsabilidade fiscal. Vamos ter que dar um jeito. Infraestrutura, novas edificações e outros programas poderão ser afetados até que volte a normalidade”, encerrou Caramori. 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade