Publicidade
Terça-Feira, 18 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 22º C

Confira sugestões de praias da Ilha para curtir com a família antes da temporada

Antes do agito do verão, há boas opções de balneários com águas calmas, estrutura e fácil acesso

Andréa da Luz
Florianópolis
17/11/2018 às 19H03

Com 42 praias oficiais (são mais de 100, extraoficialmente), a Ilha de Santa Catarina oferece boas opções para curtir em família, principalmente nesse época de pré-temporada, quando os milhares de turistas ainda não chegaram. Os locais de águas calmas, sem fortes ondulações ou correntes de retorno são ideais para crianças e bem melhor aproveitados antes da alta temporada de verão.

A pequena Júlia brinca com a família na Lagoa do Peri - Marco Santiago/ND
A pequena Júlia, de 1 ano e 10 meses, brinca com a família na Lagoa do Peri - Marco Santiago/ND

A maioria dessas praias tem bons acessos e boa estrutura no entorno: bares, restaurantes, pousadas e hotéis, estacionamentos e mercados que, nesta época do ano, ainda podem ser frequentados sem a superlotação dos meses de janeiro e fevereiro. Neste feriadão, por exemplo, o trânsito fluía facilmente tanto para o Norte quanto para o Sul da Ilha (o Morro da Lagoa, ao contrário, registrou congestionamentos) e havia lugar para estacionar, comer e aproveitar o sol com tranquilidade.

No Sul da Ilha, a praia do Pântano do Sul e a Lagoa do Peri são excelentes lugares para levar a criançada e aproveitar o dia de sol. Já no Norte, há mais opções, como os balneários da Daniela, Praia do Forte, Jurerê, Jurerê Internacional, Lagoinha do Norte e Ponta das Canas, todos com águas calmas e ambiente tranquilo, sem música alta e muito agito.

O motorista Rômulo Klug e a mulher Kelli da Matta aproveitaram o dia de céu limpo e água transparente para levar a filha Ellen, 11 meses, para a praia do Pântano do Sul. "Nasci e vivo aqui no Pântano, é um local excelente para vir com a família: a baía é tranquila, tem menos ondas e correntes, muito boa para tomar banho de mar com as crianças", diz Rômulo. "É diferente de Açores, por exemplo, onde as ondas são maiores e há mais correnteza".

Rômulo também destacou os investimentos em estrutura na praia, como as ducha e a reforma do posto salva-vidas. Ambos ainda não estão em funcionamento, mas vão garantir melhor atendimento a moradores e turistas neste verão. Aproveitando o feriado, o motorista disse que o movimento é grande, mas menor que no ano passado. "A crise afastou muita gente. Da Argentina mesmo só vem os que já tinham feito alguma reserva", afirma.

Pântano do Sul

Julya Scarpin e Sofia Mezzolo com a avó Maria Belline Scarpin na Praia do Pântano do Sul - Marco Santiago/ND
Sofia Mezzolo e Julya Scarpin com a avó Maria Bellini Scarpin na Praia do Pântano do Sul - Marco Santiago/ND

 

A aposentada Maria Bellini Scapin, de Caxias do Sul (RS), chegou com a família na quinta-feira (15) e está adorando o Pântano do Sul. "Já vim antes e ficamos nos Ingleses, mas lá era bem mais agitado. Aqui é uma calmaria, as águas são calmas e as crianças podem entrar sem medo”, diz.

Enquanto Maria relaxava na cadeira tomando sol, a neta Júlya, 11, brincava com a prima Sofia, 10, na beira da água. Logo, chegou a mãe da Júlya, Roberta Mezzono Scapin, que acordou às 7h para correr na areia. "É uma praia muito linda, eu fui correr até o final e fui filmando tudo, além de ser calmo para as crianças", conta.

O Pântano do Sul fica no extremo Sul de Florianópolis, a 27 quilômetros do Centro, e é acessada pelas rodovias SC-405 e SC-406. No local, há bares, restaurantes, posto salva-vidas e duas duchas (uma ainda será ligada). No entanto, banheiros estão disponíveis nos estabelecimentos comerciais e somente na alta temporada são instalados banheiros químicos. Não é permitido estacionar na areia da praia, mas há muitos estacionamentos privados nas redondezas. Os preços oscilam entre R$ 8 e R$ 10 a diária, sem ou com ducha e banheiros.

Lagoa do Peri

Lagoa do Peri, no Sul da Ilha - Marco Santiago
Lagoa do Peri, no Sul da Ilha - Marco Santiago

 

Outra opção no Sul da Ilha é o Parque Municipal da Lagoa do Peri, a 21 quilômetros do Centro. O local oferece cerca de 170 vagas de estacionamento gratuito e dez banheiros, mas é preciso chegar cedo para garantir lugar, mesmo fora da temporada. A lagoa costuma ficar lotada, com carros estacionados ao longo da SC-406 nos dois lados da pista, especialmente após o meio-dia.

Também há posto salva-vidas, parquinho infantil, trilhas guiadas e restaurante. O local é bem procurado para quem pratica stand up ou gosta de utilizar caiaques. Quem chega antes, como a aposentada Delma Lemos Ricardo, moradora do Morro das Pedras, pode escolher lugar e estacionar tranquilamente dentro da área do parque. "A água aqui é mais quente, muito boa, e tem a vantagem de ser limpa e tranquila. É só ver pela quantidade de crianças que é ótima para a família. A única coisa que sinto falta é um chuveiro", afirma.

 A alguns passos de distância, a fisioterapeuta Emanuelle Cortes Carnaciali, nora de Delma, curtia a sombra enquanto a filha Julia, de 1 ano e dez meses, brincava na água com o pai Sergio Murilo Ricardo. Eles vieram de Balneário Camboriú e destacam a tranquilidade que é estar no local com a filha. "É muito calmo, não tem aquela quantidade enorme de crianças correndo para todo lado, e elas acabam se entrosando mais", diz Emanuelle.

Praia do Forte

Praia do Forte, no Norte da Ilha - Marco Santiago/ND
Praia do Forte, no Norte da Ilha - Marco Santiago/ND

 

No lado oposto da cidade, a Praia do Forte atrai visitantes locais e turistas. A publicitária Eliane Spielmann mora na Carvoeira e levou os filhos gêmeos Antonio e Bia, de 6 anos, para se encontrarem com os amigos da escola. Eles fizeram a maior festa na água, que quase não tinha ondas. "Venho sempre aqui, é muito calmo, não tem frescobol, e da areia eu consigo ficar controlando as crianças. Consegui estacionar facilmente porque cheguei bem cedo, mas o acesso à praia é ruim, a rua é estreita demais", avalia.

A praia fica a cerca de 25 quilômetros do Centro e conta com bares, onde há banheiros, mas é só na alta temporada que chegam os banheiros químicos, ainda assim em pouca quantidade. Uma atendente de restaurante disse que "são apenas quatro ou cinco e não suportam a demanda". Há vagas para carros na areia da praia e estacionamentos privados e uma ducha que ainda não entrou em operação.

Quem tiver tempo de sobra pode visitar a Fortaleza de São José da Ponta Grossa, que faz parte do patrimônio histórico da cidade. Sua construção começou em 1740 e hoje abriga uma exposição permanente montada na Casa do Comandante com alguns dos artefatos encontrados em escavações arqueológicas.

Praia da Daniela

Sandym], Antonio, Jaqueline e Douglas com as crianças Antonio e Pietro na praia da Daniela - Marco Santiago/ND
Sandym], Antonio, Jaqueline e Douglas com as crianças Antonio e Pietro na praia da Daniela - Marco Santiago/ND

 

Na Daniela, o ambiente familiar também é nítido. Muitas famílias com crianças procuram o local de água límpida e fácil acesso. O estacionamento fica fora da praia e há um chuveiro instalado pela prefeitura (começará a funcionar no dia 1º de dezembro).

O casal de Eldorado do Sul (RS), Antônio Marcos Costa e Jaqueline Bitencourt, passa o feriadão com os sobrinhos Sandy Rosa e Douglas Maciel, em Palhoça. O grupo destinou a sexta-feira de sol e 30 graus para ir à praia. Enquanto relaxavam, Antonio, 2, se divertia à vontade na água. "A gente vai em outras praias da Ilha, mas as do Forte e da Daniela são melhores para as crianças, porque são bem familiares e calmas", diz Antônio Marcos. O grupo concordou que seria ótimo ter o chuveiro funcionando, mas elogiou a limpeza da praia.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade