Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Porsche Boxter é arrematado em leilão da Polícia Federal por R$ 176 mil

PF. Veículo faz parte do primeiro leilão antecipado do Brasil realizado em Florianópolis

Mônica Amanda Foltran
Florianópolis
Fernando Mendes
Porsche foi apreendido na Operação Arrastão em 2009
Veículo foi apreendido na Operação Arrastão

O carro mais cobiçado do primeiro leilão realizado pela Polícia Federal após a Resolução 30, do Conselho Nacional de Justiça, foi um Porsche Boxter S, modelo 07/08. O veículo, que ficou por dois anos parado no pátio da PF, teve um lance inicial de R$ 170 mil e foi arrematado por R$ 176 mil. O comprador do conversível amarelo foi um revendedor de Itapema.   Além deste, que teve uma atenção especial no auditório da Polícia Federal na tarde de ontem, mais nove automóveis e uma moto, apreendidos durante operações policiais, foram vendidos por preços abaixo de mercado.

A proposta lotou o auditório. Durante aproximadamente uma hora, todos os veículos foram vendidos, que somaram um montante de  R$ 482 mil. O dinheiro será depositado em uma conta judicial enquanto corre o processo judicial. “Caso os envolvidos sejam condenados o dinheiro será confiscado e direcionado para a União. Caso eles sejam absolvidos recebem o dinheiro de volta”, explica o juiz da 2ª Vara Criminal de Tijucas, Pedro Carvalho.

A  maioria dos carros leiloados pela PF foram originados de apreensões da Operação Arrastão, realizada na Comarca de Tijucas em 2009. Entre eles está o Porsche, que segundo o delegado Ildo Rosa, pertencia a Aleander Muller, que pagou R$ 230 mil no veículo. “Há suspeitas de que ele seja envolvido com  maquinas caça-níqueis e jogatina, em Brusque, no Vale do Itajaí. Ele comprou o veículo em uma terça-feira e foi preso na sexta-feira”, lembra Rosa.

O empresário de Itapema Sandro Argenta, 33, que comprou o Porsche no leilão, pretende revender o veículo. “Estou habituado a revender carros importados. Vim para buscar exclusivamente este modelo”, comemora o novo proprietário, que parabeniza pela iniciativa da PF. “Acho ótimo, uma forma de não deixar carros como este apodrecendo”, avalia. O primeiro leião antecipado do Brasil foi promovido com base na Recomendação nº 30 do CNJ (Conselho Nacional de Justiça). A proposta é a alienação antecipada de bens apreendidos de criminosos.

Carros no terreno da União devem ser leiloados

 De acordo com o superintendente Ademar Stocker   em Santa Catarina cerca de 30 mil carros apreendidos apodrecem nos pátios da Polícia Federal. A iniciativa é uma forma de diminuir este número. “A tendência é se espalhar este sistema por todo o Brasil”, aponta. Na Capital, recentemente o terreno na área central da cidade, que pertence ao Patrimônio da União e está cedido provisoriamente ao Ministério Público Federal, está sendo usado para abrigar carros apreendidos que estão com processos administrativos em trânsito.

O local escolhido, na baía sul, ao lado do Camelódromo de Florianópolis e Direto do Campo é alvo de crítica por parte de comerciantes do entorno que reclamam que os carros parados atraem marginais além de insetos e ratos. “15 carros que estão ali já estão com pedido de leilão. Falta só um ajuste entre o Tribunal de Contas da 4ª Região e o leiloeiro para que os veículos possam ser leiloados”, explica Stocker.

Para o juiz Pedro Carvalho é necessário um desprendimento dos poderes envolvidos para a realização da vendo. Segundo Carvalho, a realização do processo legal pode ser realizada em seis meses. “É preciso uma comissão bem constituída para avaliar caso a caso, mas é possível. O Estado não pode arcar com este ônus”, salienta.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade