Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Polícia investiga o que motivou ataques da madrugada de sábado na Grande Florianópolis

Uma das suspeitas é de que as ocorrências estão relacionados à morte de um integrante do PGC durante confronto com a PM em Tijucas, na noite de sexta-feira

Redação ND
Florianópolis
05/08/2018 às 19H17
Base da PM em São José é atingida por mais de 30 tiros - Divulgação/ND
Base da PM em São José é atingida por mais de 30 tiros - Divulgação/ND


Um homem foi encontrado morto, um adolescente foi baleado e duas bases da PM (Polícia Militar) foram atacadas em um curto período de tempo na madrugada de sábado (4) na Grande Florianópolis. A polícia suspeita que os ataques registrados em São José e na Capital estejam relacionados à morte de um integrante do PGC (Primeiro Grupo Catarinense) durante confronto com agentes da PM em Tijucas, na noite de sexta-feira (3). De acordo com informações do 7º BPM (Batalhão da Polícia Militar), há uma investigação em andamento para confirmar se os crimes estão ligados.

A primeira ocorrência foi registrada por volta das 4h, em São José. Edson Lorencir Bernardo foi encontrado morto dentro de um Renault Clio, na rua Manoel Porto Filho, em Forquilhinhas. O corpo da vítima tinha perfurações por arma de fogo e foi recolhido pelo IGP (Instituto Geral de Perícias).

Em seguida, próximo à rua onde estava o veículo, a guarnição encontrou um jovem de 17 anos baleado em uma casa. Segundo a polícia, a vítima não tem passagens policiais e pode ter sido atingida por uma bala perdida. O rapaz foi socorrido e não corre risco de morte.

Na mesma região, homens em um Citroën Aircross com registro de roubo passaram em frente à base da PM da Fazenda do Max, em São José, e efetuaram mais de 30 disparos em uma das paredes da unidade. Nenhum dos policiais que estava no local durante o ataque ficou ferido. Após os disparos, o carro seguiu em direção à BR-101.

Um pouco mais tarde, a base insular da PM, entre as pontes Pedro Ivo e Colombo Salles, na entrada da Ilha de Santa Catarina, também foi alvo de disparos de arma de fogo. De acordo com a polícia, o veículo de onde foram efetuados os disparos era o mesmo que havia atacado a unidade em São José.

Carro utilizado nos ataques foi encontrado no Centro de Florianópolis com motor ainda quente - Polícia Militar/Divulgação/ND
Carro utilizado nos ataques foi encontrado no Centro de Florianópolis - Polícia Militar/Divulgação/ND


O carro foi encontrado estacionado na rua Silva Jardim, na região central de Florianópolis, com o motor ainda quente. Dentro do veículo foram encontradas quatro munições de 9mm deflagradas.

A polícia investiga se os ataques às bases da PM seriam uma represália à morte de Walace Índio Farias, 18 anos, apontado como 'matador' do PGC. O jovem foi baleado quando policiais civis e militares cumpriam mandado de prisão contra ele, em Tijucas. De acordo com o serviço de informação da PM, Farias estava aproveitando o vácuo de poder no bairro Jardim Progresso para tentar dominar o tráfico no local. Ainda conforme a PM, após a madrugada violenta de sábado, o fim de semana seguiu tranquilo, sem registro de novos ataques na Grande Florianópolis.

Na manhã deste domingo (5), um jovem foi encontrado enforcado em uma árvore na Praia do Moçambique, no Leste da Ilha. A morte será investigada como suicídio ou homicídio. Até esta tarde, o delegado da Homicídios, Ênio de Oliveira Mattos, não havia sido comunicado e o caso deva ser apurado pela 7ª DP.

>> Noite violenta tem homicídio e ataques a bases da Polícia Militar na Grande Florianópolis

>> Criminosos vingam a morte de bandido com ataques a PM em São José e Florianópolis

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade