Publicidade
Sábado, 18 de Novembro de 2017
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 21º C

Polícia apreende arsenal e encontra dois corpos no Morro do Mosquito, em Florianópolis

Jovens foram encontrados na tarde desta quarta-feira (8); neste ano 138 pessoas foram mortas na Capital

Colombo de Souza
Florianópolis
08/11/2017 às 22H54

Agentes da Delegacia de Homicídios, em ação conjunta com policiais da Draco (Divisão de Repressão ao Crime Organizado), subiram o Morro do Mosquito, localizado no acesso ao Norte da Ilha, na tarde desta quarta-feira (8) e realizaram incursão na região. Durante a ação, foram encontrados dois corpos, identificados pela polícia como Rafael e Jonata, assassinados no final do mês de outubro na Costeira do Pirajubaé, região Sul de Florianópolis. A polícia investiga a relação do caso com a facção criminosa paulista PCC (Primeiro Comando da Capital).

O Corpo de Bombeiros de Canasvieiras foi acionado para ajudar a desenterrar os corpos.

Agentes da Delegacia de Homicídios realizaram uma ação conjunta com policiais da Draco no Morro do Mosquito - Draco/ Divulgação/ ND
Agentes da Delegacia de Homicídios realizaram uma ação conjunta com policiais da Draco no Morro do Mosquito - Draco/ Divulgação/ ND


De acordo com um agente da Homicídios, também foram apreendidas cinco pistolas, uma submetralhadora, um silenciador e várias munições de diversos calibres. Algumas armas estavam dentro de sacolas plásticas enterradas. O policial ainda informou que foram detidos “soldados” da facção criminosa paulista envolvidos no assassinato dos dois rivais, integrantes do PGC (Primeiro Grupo Catarinense), na Costeira.

As armas e os presos foram levados para a Draco. A Delegacia de Homicídios ficou com a investigação dos assassinatos. Com estes dois crimes sobe para 138 o número de mortes violentas este ano na Capital. 

Arsenal foi encontrado pela polícia na tarde desta quarta-feira (8) - Draco/ Divulgação/ND
Arsenal foi encontrado pela polícia na tarde desta quarta-feira (8) - Draco/ Divulgação/ND


Investigação

Segundo o delegado da Draco, Antônio Seixas Jóca, foram capturados três homens maiores de idade e dois menores, integrantes do PCC e suspeitos de participar no crime.  “Todos estão ligados na execução que ocorreu na Costeira. Eles vão ser autuados por formação de quadrilha, associação para o tráfico de drogas e porte ilegal de arma”. O delegado explicou que vai compartilhar as atuações com a Delegacia de Homicídios. Os suspeitos, maiores de idade, devem ser autuados por homicídio.

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade