Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

PP mais próximo da aliança com Raimundo Colombo

Luiz Henrique da Silveira declara apoio ao governador, sai de cena e joga decisão para a executiva do partido

Keli Magri, Letícia Mathias
Florianópolis

A declaração do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), nesta semana em Joinville, clareou o caminho do partido, que andava nebuloso, para as eleições. Principal liderança peemedebista, LHS ameaçava romper com o governo de Raimundo Colombo (PSD) em resposta à participação do PP na majoritária. Porém, na quarta-feira, ao lado do governador em visita oficial ao maior domicílio eleitoral do Estado, o senador declarou apoio a Colombo e descartou qualquer possibilidade de lançar candidatura própria.

Daniel Queiroz/ND
Colombo vistoriou as obras do hospital Regional de Biguaçu

As palavras de Luiz Henrique soaram na base do governo como um gesto pelo fim do veto imposto por ele ao PP e um sinal de que o PMDB deve aceitar os progressistas na plural aliança sob o comando do PSD. O presidente estadual do PSD, deputado  Gelson Merisio, confirmou o que se comenta nos bastidores. “Não tem mais veto do PMDB em relação ao PP”, assegurou Merisio, que comanda o encontro dos correligionários pessedistas com o governador na próxima quarta-feira, às 9h, no hotel Majestic.

O partido, segundo ele, quer fechar a chapa majoritária até o dia 20 e as proporcionais até o dia 30. “Diferentemente dos outros partidos, nós já temos nosso governador e agora precisamos acertar a forma que o partido vai trabalhar nas eleições, como os prefeitos, vices, deputados, vereadores e lideranças poderão ajudar”, adiantou Merisio.

No PP não há hesitação de que os três partidos estarão juntos. “Estou muito confiante, não tenho dúvidas de que iremos vencer as dificuldades. Trabalhamos há muito tempo nesse projeto. O PMDB vai aceitar”, projetou o presidente da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) e postulante ao cargo no Senado pela aliança, Joares Ponticelli (PP).

Peemedebistas decidem na próxima semana

O presidente do PMDB, vice-governador Eduardo Pinho Moreira, afirmou que a executiva do partido se reúne na próxima segunda-feira, em dois momentos, para avançar nas decisões do pleito. Moreira adiantou que o senador Luiz Henrique da Silveira não vai participar e que a executiva decidirá em conjunto os detalhes da composição. “Ele não quer participar, mas a sua opinião terá peso na decisão. O que o PMDB quer é discutir as questões de forma conjunta, não individual. Está tudo muito pessoal, em Luiz Henrique, isso não é bom para ele nem para o partido”, declarou Moreira.

Pré-candidato a vice-governador, Moreira não confirma o fim do veto à participação do PP na majoritária, mas admite que a declaração do senador clareou o caminho. “Certamente desanuviou. Na semana que vem haverá avanços e há a possibilidade de concretizarmos a situação”, adiantou Moreira.

As reuniões do PMDB serão de manhã e à noite. A primeira terá a participação dos líderes das bancadas estadual e federal, respectivamente os deputados Moacir Sopelsa e Ronaldo Benedet, do senador Casildo Maldaner e de três prefeitos, além de Moreira. À noite, reunirá as bancadas estadual e federal, o senador Maldaner e Moreira.

O senador Luiz Henrique da Silveira não atendeu, nem retornou as ligações do ND para comentar os últimos desdobramentos.

Em agenda executiva, Colombo libera recursos

Além da agenda política, o governador Raimundo Colombo (PSD) mantém a agenda executiva. Em visita ao hospital Regional de Biguaçu, na manhã de ontem, ele confirmou apoio ao município para adequações às normas da Vigilância Sanitária que serão necessárias. O governo irá repassar R$ 1,4 milhão, além dos R$ 500 mil desembolsados pelo município. As obras devem durar dois meses, serão 35 pontos ajustados, principalmente em banheiros, que devem ser adequados para deficiente físicos, além de acertos nos pisos e forros dos corredores e centros cirúrgicos.

A proposta é abrir o hospital até o fim de setembro. A estrutura física está pronta, conta com algumas cadeiras e poltronas, mas falta toda parte de equipamentos ainda. Na semana passada, a presidente Dilma Rousseff esteve em Santa Catarina e firmou um termo de compromisso por meio do Ministro da Saúde, que assegura repasse de R$ 4,9 milhões para a aquisição de equipamentos. O edital para a compra está em fase de conclusão, de especificação de materiais e deve ser lançado em duas semanas.

A licitação para definir qual a entidade filantrópica vai gerenciar o hospital deve ser publicada nos próximos 15 dias. A entidade vencedora terá concessão por 30 anos e atuará com 70% de atendimento ao SUS e 30% atendimento particular. Colombo e a secretária de Estado da Saúde Tânia Eberhardt afirmaram que a nova unidade irá dividir melhor a rede. Hoje a maioria dos pacientes fica concentrada no Hospital Regional de São José. “Com a abertura do Hospital Florianópolis a fila de espera diminuiu cerca de 20%. Acreditamos que o Hospital de Biguaçu também deverá aliviar o fluxo no hospital de São José e irá atender melhor toda a região”, explicou a Tânia.

Ainda na região, Colombo esteve em São José e anunciou investimentos de R$ 46 milhões para obras de saneamento, pavimentação de ruas e instalação de câmeras de monitoramento. 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade