Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Piscinas naturais da Barra da Lagoa, em Florianópolis, são opção de passeio na temporada de verão

Recanto de águas límpidas tem profundidade mínima de 2 metros, propício para o mergulho de superfície

Elaine Stepanski
Florianópolis

Deliciar-se com um banho ou mergulho em piscinas naturais e ainda curtir a belíssima paisagem e o aconchego da natureza. Isto é possível em Florianópolis, sem pagar um centavo por esse momento de lazer único. O recanto paradisíaco fica na praia da Barra da Lagoa e atrai a cada temporada novos turistas e até mesmo moradores curiosos que desfrutam dessa experiência única.

 

Marco Santiago/ND
Piscinas que se formaram durante a maré baixa atraem visitantes de diferentes lugares

 

É a formação geológica da costa na Barra da Lagoa que propicia o surgimento das pequenas bacias ou piscinas naturais rodeadas de pedras. Mas por se tratar de formações naturais elas podem ter prazo de validade, alerta o geólogo Rodrigo Sato. “As piscinas naturais se formam pela posição do mar. Quando a maré sobe, a água enche, e quando desce fica represada. As entradas se formaram na maré baixa. Nos últimos cinco mil anos, o mar voltou a subir e a água tornou a ocupar estes lugares”, explica. “A tendência nas próximas décadas é que volte a descer como um movimento natural. Então é bom aproveitar para desfrutar das piscinas naturais nas próximas décadas”, acrescenta.  

Para chegar até o local, basta atravessar um canal a pé por uma ponte localizada no canto direito da praia da Barra da Lagoa. Por meio de trilha que tem um percurso de 15 a 20 minutos é possível acessar uma praia menor conhecida como Prainha do Leste e na sequências as piscinas naturais em meio às pedras.

A trilha é de fácil acesso, mas quem percorre o caminho pela primeira vez fica um pouco inseguro: “Muito lindo o lugar, mas custamos a chegar”, conta a argentina Maria Lizzi, 51 anos, ao lado dos filhos e do marido.

A paulista Gabriela Malumbres, 38 , seguiu as demais pessoas que iam em direção às piscinas naturais e chegou ao destino, mas ficou preocupada com a falta de sinalização na trilha: “Muita gente vem perguntando onde é, falta informação. Os banhistas também têm que tomar mais cuidado, teve gente que ao pular da pedra quase bateu a cabeça.”

Durante a visita às piscinas naturais, a equipe do Notícias do Dia encontrou dois salva-vidas, que mencionaram atender o local por conta própria, mas que nem sempre é possível estar presente – a lotação deles é na praia ao lado. A Secretaria Municipal de Turismo informou que já encaminhou sugestões ao Corpo de Bombeiros, que coordena o trabalho desenvolvido pelos guarda-vidas, e também para a Floram (Fundação Municipal do Meio Ambiente de Florianópolis), responsável pela sinalização. O Centro de Comunicação Social do Corpo de Bombeiros, do 1º BBM (Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar de Florianópolis) não recebeu ainda a solicitação, mas ressalta que quando ocorrer, será preciso analisar como será feito, o que deve ficar para a próxima temporada, já que esta está chegando ao fim. De acordo com a Floram, as placas de sinalização estão com os layouts em produção, mas ainda não há verba para a confecção.

 

Marco Santiago/ND
Água cristalina e paisagem que muitos apreciam do alto das pedras  

Piscinas naturais, diversão garantida

Brasileiros, argentinos, não importa a nacionalidade. As piscinas naturais da Barra da Lagoa têm atraído pessoas das mais diversas localidades em busca de tranquilidade em meio à natureza. “Esse ano tem muita gente. Mais pessoas estão descobrindo o lugar”, constata o único comerciante do local, Valdecir Aldo dos Santos, que há nove anos trabalha com sua barraquinha em uma das pedras.

Basta uma simples olhada para ver as pedras todas ocupadas por visitantes e o trajeto cheio de turistas parando para fazer selfie, apreciar a paisagem ou pular da pedra para um mergulho. “É a primeira vez que viemos. Estamos encantados, tudo muito lindo. É difícil lugares como este”, conta a argentina Silvina Maldonado, 36, que soube pela internet das piscinas naturais.

Já os manezinhos Pedro Pereira, Margarida Pereira e David Botelho descobriram o recanto sozinhos. “Íamos sempre à prainha, aí resolvemos fazer a trilha”, comenta Margarida, 18. “Na primeira vez foi difícil achar, descobrimos na raça. Hoje já é mais conhecido e está bem mais lotado”, afirma o irmão, Pedro Pereira,16.

Confira mais fotos das piscinas

SERVIÇO

O quê? Passeio nas piscinas naturais da Barra da Lagoa

Como chegar? No canto direito da Praia da Barra da Lagoa, em Florianópolis. Atravessar o canal por uma ponte. Há uma trilha na sequência com percurso de 15 a 20 minutos. Durante o trajeto é possível acessar uma praia menor, Prainha do Leste, e na sequência as piscinas naturais em meio às pedras. O caminho também pode ser feito de barco no valor de R$ 15. As opções são oferecidas antes da ponte em quiosques identificados

O que levar? Como o trajeto da trilha fica exposto ao sol, o ideal é levar água e protetor solar

Quanto custa? Gratuito

Tempo de trilha: Média de 15 a 20 minutos

Serviços oferecidos: Local conta apenas com um quiosque

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade