Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Pinguins encontrados no Norte da Ilha morreram por asfixia e afogamento

Primeiros resultados da necropsia apontam captura acidental em redes de pesca como provável causa da morte

Andréa da Luz
Florianópolis
24/07/2018 às 22H09

Os pinguins encontrados em praias do Norte de Florianópolis, nesta segunda-feira (23), morreram por asfixia e afogamento, segundo resultados preliminares da necropsia, feita na manhã desta terça (24) pela Associação R3 Animal, ONG que trabalha no resgate, reabilitação e reintrodução de animais em seu habitat.

De acordo com a presidente da R3 e coordenadora do PMP-BS (Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos), Cristiane Kolesnikovas, “os primeiros resultados  indicam como causa de morte asfixia/afogamento provavelmente por captura incidental por rede de pesca”.

Mais de cem pinguins mortos foram recolhidos em praias do Norte da Ilha - Indra Vieyra/Divulgação
Mais de cem pinguins mortos foram recolhidos em praias do Norte da Ilha - Indra Vieyra/Divulgação


Segundo Cristiane, ao ficarem enredados nas redes, há indícios como lesões externas (cortes e marcas de estrangulamento) e internas (no pulmão), que levam à asfixia e ao afogamento. O gerente do PMP-BS em Florianópolis, Emanuel Ferreira, disse que junto com os animais também foram encontrados apetrechos de pesca que estão sendo analisados.

Até o final desta manhã, seis animais haviam sido examinados, mas todos os 108 deverão passar pela necropsia para chegar a um resultado mais contundente.

A R3 Animal recolheu 18 aves nas praias de Cachoeira do Bom Jesus e 10 na praia de Ingleses, que foram levadas para o Cetas (Centro de Triagem de Animais Silvestres), no Parque Estadual do Rio Vermelho. Os 28 pinguins resgatados em terra eram todos juvenis.

Mais mortes

Outros 80 pinguins que boiavam na mesma região foram recolhidos pelo monitoramento embarcado do Instituto Australis/Projeto Baleia Franca e encaminhados à Udesc de Laguna para a necropsia. "Foram quatro horas até recolher todos os animais. Apenas um foi resgatado ainda com vida”, disse a presidente do Instituto Australis, Karina Groch.

Mais de cem pinguins mortos são recolhidos no Norte da Ilha - Instituto Australis/Divulgação
Mais de cem pinguins mortos são recolhidos no Norte da Ilha - Instituto Australis/Divulgação


O Instituto Australis é uma das instituições executoras do PMP-BS Fase 1, e fica localizado em Itapirubá Norte (Imbituba) e, além do monitoramento embarcado realizado uma vez por semana na Baía Norte de Florianópolis, é responsável pelo monitoramento diário por terra desde a Praia do Rosa (Imbituba) até a Praia da Pinheira (Palhoça).

As aves da espécie pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus) costumam aparecer no litoral catarinense nessa época do ano, quando migram da Patagônia, na Argentina, em busca de alimento. Entretanto, segundo a veterinária, não é normal encontrar um número tão alto dessas aves, mortas, de uma só vez.

A orientação para quem encontrar pinguins mortos ou vivos precisando de atendimento é entrar em contato com a PMP-BS. O telefone para acionar o resgate de animais marinhos é o 0800 642 3341.

>> Veja também a reportagem do Balanço Geral Florianópolis:

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade