Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Pesquisador faz expedição científica em grupo por oito praias de Florianópolis

A proposta é conhecer as inscrições rupestres milenares e precisos alinhamentos das pedras com o sol espalhados pela Ilha

Karin Barros
Florianópolis
23/12/2017 às 11H50

Começou nesta sexta-feira (22) e segue até o dia 30 de dezembro a primeira expedição científica pelas inscrições rupestres milenares e precisos alinhamentos das pedras espalhadas por Florianópolis. A proposta é acompanhar o cientista Adnir Antônio Ramos em campo, nativo pescador e antropólogo, que estuda há 30 anos o assunto e é referência em Santa Catarina. 

Expedição científica pela praia do Saquinho nesta sexta-feira - Divulgação/ND
Expedição científica pela praia do Saquinho nesta sexta-feira - Divulgação/ND


A primeira trilha feita pelo grupo formado pelo número limitado de até 20 pessoas foi a do Saquinho, um caminho inédito, onde foi observado pela primeira vez o alinhamento das pedras ao nascer do sol. A organizadora Juliana Jeremias Capistrano explica que os lugares escolhidos - ao todo oito -, são especiais para quem tem interesse em conhecer a história dos povos de mais de seis mil anos atrás e fazer experimentos científicos. 

As partidas acontecem às 5h para que o grupo esteja próximo das pedras no horário que o sol nascer, perto das 6h20. “O solstício de verão é o momento em que o sol está mais próximo da terra, e quando ele nasce os raios fazem um alinhamento perfeito com as inscrições rupestres. Embora seja uma pesquisa que existe a muito tempo, muita gente não conhece esses calendários solares e, para mim, os verdadeiros mistérios da Ilha”, diz Juliana.

Mapa das trilhas previstas para a expedição - Divulgação/ND
Mapa das trilhas previstas para a expedição - Divulgação/ND


Além das questões astronômicas citadas no bate-papo que ocorre na trilha com o cientista, também é levado em consideração o lado espiritual. Segundo o organizadora, as comunidades dos povos antigos utilizavam esses locais para rituais sexuais, religiosos e de colheita de alimento, por exemplo, e esse pontos eram apropriados para ocorrer o alinhamento de todas as tribos da Ilha e do país em pontos distantes e ao mesmo tempo. 

O estudo de Adnir ainda está em fase de conclusão, mas essa expedição é um mote mais forte para o trabalho ser encaminhado a Unesco e ser reconhecido como patrimônio histórico do mundo. “O acervo rupestre do litoral de Florianópolis é algo diferente no mundo, não existe nada igual”, afirma ela. 

A jornada Expedições Científicas nas Montanhas Sagradas da Ilha de SC contempla ainda as trilhas da Barra da Lagoa, Pedra do Frade, Lagoinha do Leste, Santinho, Praia Brava e Ponta do Gravatá. Cada uma possui extensão média de 3,5 quilômetros de desafio moderado à difícil em alguns trechos. Indicadas para todas as pessoas que gostem de caminhar e contemplar a natureza, e crianças a partir de oito anos acompanhadas de um adulto. As expedições dependem das condições climáticas pela manhã. O investimento por adulto é de R$ 50 e criança de 8 a 12 anos é de R$ 30. 

Informações pelo telefone (48) 99142-0603 - Juliana Jeremias Capistrano

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade