Publicidade
Quinta-Feira, 26 de Abril de 2018
Descrição do tempo
  • 29º C
  • 20º C

Pescadores poderão reconstruir ranchos incendiados em Santo Antônio de Lisboa

SPU (Superintendência do Patrimônio da União) e Floram (Fundação do Meio Ambiente) liberaram as construções que devem seguir um padrão estabelecido pela prefeitura

Redação ND
Florianópolis
29/05/2017 às 20H55
José Alberto Queiroz perdeu mais de R$ 50 mil em materiais com o incêndio - Flávio Tin/ND
José Alberto Queiroz perdeu mais de R$ 50 mil em materiais com o incêndio - Flávio Tin/ND


O pescador e maricultor Zulmar da Ventura, 36 anos, o Mazinho, comemorou a liberação da SPU (Superintendência do Patrimônio da União) e da Floram (Fundação do Meio Ambiente) para a reconstrução dos três ranchos incendiados em março de 2014 na comunidade de Santo Antônio de Lisboa, em Florianópolis. Os ranchos terão 70 metros² e deverão seguir um padrão determinado pela Floram. Os maricultores e pescadores ficarão responsáveis pelas obras e seus custos.

O incêndio, de causa ainda desconhecida, destruiu três dos 16 ranchos. “A maricultura é um serviço pesado e você trabalhar todos os dias sob a chuva e o sol é muito sacrificante. Ainda não estou acreditando na liberação para a reconstrução dos ranchos. Agora é torcer para não aparecer outro impedimento”, observou.

Durante os três anos, Mazinho construiu um barracão improvisado para guardar os materiais. Pior para o pescador e maricultor José Alberto Queiroz, 66, que perdeu mais de R$ 50 mil em materiais com o incêndio. Depois de ser furtado várias vezes, ele contou com a ajuda do pescador Amilcar Lisboa, 63, que cedeu parte do seu rancho.

“Fizeram um bingo e recebi R$ 8 mil de ajuda da comunidade. Comprei alguns materiais e coloquei ao lado de onde era o meu rancho, mas furtaram 42 telhas ecológicas. Também já me furtaram uma bateria com o carregador, entre outros pequenos objetos”, lamentou um dos pioneiros na maricultura em Florianópolis.

O diretor geral da Floram, Marcos Leandro Gonçalves da Silva, informou que algumas árvores foram podadas na sexta-feira (26) para liberar espaço para a construção dos ranchos. Mesmo assim, dois pequenos ranchos precisam ser retirados.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade