Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Personagens da Ilha - Valter da Luz: Um cafezinho para o presidente

Na série que homenageia o aniversário de Florianópolis, Valter Luz resgata através da sua memória a história do Centro da cidade

Aline Torres
Florianópolis
Fotos Rosane Lima
No episódio histórico da Novembrada, Valter serviu o café para o presidente Figueiredo

O general João Figueiredo veio a Florianópolis parou para um café no Senadinho, mas o que tomou foi um tapa. Valter Luz, proprietário da cafeteria, se apavorou com a leva de estudantes enfurecidos, e donas de casa batucando panelas esvaziadas pela inflação.

Era Mosquito para cá, Adolfo Dias para lá, Lígia Giovanella, Marize Lippel, Rosângela Koerich, Newton Vasconcelos e Geraldo Barbosa: os sete estudantes presos em 1979 – no período da ditadura militar.

No camarote da história, Valter lembra o dia: “O presidente se defendeu com o braço, mas a história que ele apanhou correu o mundo e ajudou o país. Não vamos desmentir, né?”

 O episódio que ficou conhecido como Novembrada é apenas mais uma lembrança. Nascido na rua Conselheiro Mafra, inverno de 1939, o mané carrega a memória do centro da cidade. Lembra os meninos brincando com tampa de garrafa, as moças – que caminhavam do lado oposto da rua – em busca de tecidos na Iolanda.

Em 1968, quando alugou o Ponto Chic, como era chamado antes do jornalista Lázaro Bartolomeu renomear como Senadinho, por reunir o clã dos políticos catarinenses. Mulheres e negros não entravam. Foi com uma promoção de café grátis, que Valter atraiu o público feminino. Um escândalo! “Os homens se espantaram, mas logo virou o assunto preferido”.

Com o tempo, os negros compuseram a aquarela de gente que movimentou a Felipe Schmidt, obrigando a criação do calçadão. Onde passava carro, hoje passa gente. E nesse andarilhar, o Centro mudou. O Senadinho está no mesmo lugar, mas Valter suspira nostalgia de quem assistiu a tantas greves e carnavais. “Saudade do tempo em que se brindava com cafezinho”.

Valter Luz conta que o mar chegava até os prédios próximos ao Mercado Público

 

Conheça os demais personagens:

A última parteira do Norte

O pandorgueiro maluco

O herdeiro dos mares

O descobridor de boitatá

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade