Publicidade
Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 22º C

Pacotes com supostos explosivos são enviados para Hillary, Obama e CNN, nos EUA

Incidentes foram registrados menos de duas semanas antes das eleições legislativas no país

Folha de São Paulo
Nova York (EUA)
24/10/2018 às 12H56

NOVA YORK, EUA (FOLHAPRESS) - Autoridades americanas interceptaram supostos explosivos enviados para o ex-presidente Barack Obama, para a ex-secretária de Estado americana Hillary Clinton e para o prédio da Time Warner, dona da emissora CNN, informou nesta quarta-feira (24) o serviço secreto dos Estados Unidos.

Os incidentes foram registrados menos de duas semanas antes das eleições legislativas nos EUA. Na segunda, um pacote semelhante foi interceptado na casa do bilionário George Soros, 88, grande doador do Partido Democrata, em Bedford, na região de Nova York, na segunda-feira (22).

Pacotes foram enviados para Barack Obama, Hillary Clinton e George Soros - STAN HONDA, ANGELA WEISS, MARTIN BUREAU / AFP
Pacotes foram enviados para Barack Obama, Hillary Clinton e George Soros - STAN HONDA, ANGELA WEISS, MARTIN BUREAU / AFP


Mais cedo, a emissora CNN informou que um pacote suspeito contendo uma bomba improvisada e rudimentar, mas funcional, havia sido endereçado à Casa Branca e interceptado na base militar Joint Base Bolling, na capital Washington D.C. A informação, porém, foi desmentida no final da manhã desta quarta pelo serviço secreto americano.

O prédio onde fica a redação da CNN, também em Nova York, foi esvaziado após um artefato suspeito ser encontrado no local.

Imagens transmitidas pela emissora mostram seus funcionários nas ruas de Manhattan e o âncora Jim Sciutto em um celular informando que foi avisado de que um pacote suspeito foi enviado ao prédio da CNN.

Autoridades realizam buscas para descobrir se artefatos explosivos foram enviados para outras pessoas.

Mais cedo, um pacote suspeito contendo uma bomba improvisada e rudimentar, mas funcional, foi endereçado à Casa Branca e interceptado na base militar Joint Base Bolling, na capital Washington D.C. O artefato continha projéteis.

Um agente ouvido pela emissora CNN afirmou que o objeto era semelhante aos enviados para as casas de Obama, Hillary e de Soros.

Em comunicado divulgado na manhã desta quarta, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, afirmou que o governo americano condenado “a tentativa de ataques violentos recentemente realizados contra o presidente Obama, o presidente Clinton, a secretária Clinton, e outras figuras públicas.

“Esses atos aterrorizantes são deploráveis, e qualquer um que seja responsável deve ser responsabilizado com o máximo rigor da lei”, disse.

Sanders afirmou que o serviço secreto americano e agentes da lei estão investigando e vão tomar as medidas apropriadas para “proteger qualquer um ameaçado por esses covardes.”

O material enviado para Obama foi encontrado na manhã desta quarta no escritório do ex-presidente, em Washington, enquanto o de Hillary foi achado próximo à casa dela e do marido, o ex-presidente Bill Clinton, em Westchester, Nova York.

Em ambos os casos, os artefatos foram encontrados por agentes do serviço secreto que analisam a correspondência dos dois casais.

Hillary estava na Flórida, em campanha democrata, e nesta quarta participa de um evento do partido na região de South Florida. O ex-presidente Bill Clinton estava em casa e permanece em Nova York.

Porta-vozes do casal Obama não quiseram dizer onde ambos estavam no momento em que os artefatos foram interceptados.

Segundo autoridades policiais, os artefatos enviados para Hillary e Obama teriam sido produzidos pela mesma pessoa que enviou o pacote suspeito a Soros.

Com base na linha do tempo e no material encontrado, eles suspeitam que o mesmo indivíduo tenha fabricado os três explosivos.

Com cerca de 15 cm e recheado de material explosivo, o artefato da casa de Soros foi detonado pelo esquadrão antibombas.

“Os pacotes foram imediatamente identificados como possíveis explosivos durante os procedimentos rotineiros de triagem da correspondência e foram adequadamente tratados como tal”, disse o comunicado do serviço secreto. “Os protegidos não receberam os pacotes nem correram o risco de recebê-los.”

Enquanto o presidente americano ainda não se manifestou, seu filho mais velho, Donald Trump Jr., criticou os episódios em mensagem numa rede social.

“Como alguém cuja família foi diretamente vítima dessas ameaças pelos Correios, eu condeno quem quer que tenha feito isso, independentemente de partido ou ideologia. Essa merda tem que parar e eu espero que [o responsável] fique na cadeia por um longo tempo”, afirmou.

Uma carta foi enviada à casa de Trump no início do ano e fez com que sua esposa, Melania, parasse no hospital. Um homem confessou sere culpado de enviar cartas ameaçadoras com pó branco para os filhos de Trump e outras figuras públicas.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade