Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Os Protegidos da Princesa fez um desfile perfeito na passarela Nego Quirido

Com o samba enredo “Das terras kaingangs às terras do futuro!”, a escola fez uma homenagem ao oeste catarinense

Redação ND
Florianópolis
11/02/2018 às 18H21

A comunidade do Morro do Mocotó, em Florianópolis, comemorou o desfile da Os Protegidos da Princesa na madrugada de domingo (11) na passarela Nego Quirido. Com o samba enredo “Das terras kaingangs às terras do futuro!”, a escola fez uma homenagem ao oeste catarinense.

Na avenida, a agremiação relembrou os primeiros habitantes da região, os índios kaingangs, e a construção da rodovia entre São Paulo e o Rio Grande do Sul que resultou na guerra do Contestado. O potencial agropecuário da região e a força no futebol com a Chapecoense também foram retratados pela escola.

>> Carnaval 2018: seis espetáculos tomaram conta da passarela Nego Quirido

Protegidos da Princesa homenageou o oeste catarinense, a origem indígena de seu povo e o potencial agropecuário da região - Daniel Queiroz/ND
Protegidos da Princesa homenageou o oeste catarinense, a origem indígena de seu povo e o potencial agropecuário da região - Daniel Queiroz/ND


Com 20 alas e dois carros alegóricos, os cerca de 1.900 componentes demonstraram samba no pé para quem continuava nas arquibancadas. O primeiro carro da escola foi uma locomotiva, que é um meio de transporte muito representativo na região Oeste do Estado. Um efeito especial simulou a fumaça da chaminé. O Índio Condá, que foi um cacife da região e tinha forte papel político, também esteve representado em uma ala da escola.

O casal de cidadão samba formado por Jhonson Alexandre e Ellen Yndianara Gaudência deram um show a parte com muito samba no pé. Cantando o enredo na ponta da língua, as coreografias das alas também chamaram a atenção. "A gente desfilou dentro do planejado. Foi um grandes desfile, muito emocionante. A gente sai com o sentimento de dever cumprido diante de tantas dificuldades que o Carnaval apresenta, mas conseguimos realizar um desfile a altura do que a cidade merece", comentou emocionado o presidente Alessandro Padilha.

A segunda alegoria apresentou as grandes festas da região e do turismo. A troca de culturas entre catarinenses e gaúchos, tão marcante na região, foi um dos destaques da agremiação. A Chapecoense, atual bicampeã Catarinense, também teve um lugar garantido na avenida.

Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da escola Os Protegidos da Princesa - Daniel Queiroz/ND
Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da escola Os Protegidos da Princesa - Daniel Queiroz/ND



Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade