Publicidade
Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

Operação da PF investiga desvios de R$ 885 mil do Bolsa Atleta

Segundo a PF, o grupo inseriu dados de atletas fantasmas nos sistemas da pasta para desviar verba do benefício

Folha de São Paulo
Brasília (DF)
18/08/2017 às 21H54

BELA MEGALE

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Polícia Federal deflagrou nesta sexta (18) a Operação Havana, que investiga organização criminosa que atuou no Ministério do Esporte e desviou verba do Bolsa Atleta. Segundo a PF, o grupo inseriu dados de atletas fantasmas nos sistemas da pasta para desviar verba do benefício.

A fraude malversou R$ 885 mil à época do esquema, em 2012. Em valores corrigidos, o montante corresponderia a mais de R$ 1 milhão. A quadrilha criou 25 atletas fantasmas, alguns de alto rendimento e nível olímpico. O dinheiro direcionado para esses falsos cadastrados pararam em seis contas bancárias cujos donos foram alvos da operação desta sexta.

Após chegar a tais contas, o dinheiro era pulverizado em outras contas e empresas que ajudaram a ocultar o patrimônio, segundo investigadores. A PF afirmou que um dos líderes do esquema foi um funcionário terceirizado da pasta que fazia a inserção de dados de atletas fantasmas.

Depois das fraudes, ele se tornou um dos sócios do bar Versão Brasileira, em Brasília. Ele seria José Hector Blanco Zorrilla, que é cubano. Outros titulares de contas bancárias que receberam dinheiro foram Edigema Garrido Zorrilla (irmã de José Hector), Bruno de Miranda Ribeiro Brito Lins, Paula Assis de Miranda Ribeiro, Silvia Teixeira Almeida e Vanilson Marinho de Farias.

Os depósitos foram feitos entre março e setembro de 2012. José Hector pediu para deixar a pasta em 2013, antes do início da apuração dos desvios do Bolsa Atleta. A investigação começou após a realização de uma auditoria interna no Ministério do Esporte que constatou que pessoas que não tinham feito o requerimento devido para receber o benefício eram beneficiárias do programa.

"Em 2012, a coordenação do Bolsa Atleta à época identificou possível fraude no programa e instaurou uma apuração interna. Após a conclusão do processo administrativo, a denúncia foi encaminhada à Polícia Federal e resultou na operação Havana, deflagrada nesta sexta-feira (18)", afirmou a pasta, por meio de comunicado.

O Bolsa Atleta é dividido em cinco categorias: Base e Estudantil (R$ 370), Nacional (R$ 925), Internacional (R$ 1.850) e Olímpica/Paraolímpica (R$ 3.100).

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade