Publicidade
Sexta-Feira, 19 de Outubro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 20º C

Operação combate o comércio ilegal no Centro de Florianópolis

Cerca de 20 órgãos participam da força-tarefa que tem o objetivo de ocupar a região central da cidade para evitar que ambulantes não regularizados se instalem nas ruas

Redação ND, com informações da RICTV Record
Florianópolis
16/05/2018 às 11H41

Cerca de 20 órgãos, entre eles prefeitura, Guarda Municipal e PM (Polícia Militar), participam de uma força-tarefa no Centro de Florianópolis com o objetivo de combater a ilegalidade de ambulantes sem alvará, independente da nacionalidade, e apreender mercadorias em locais irregulares ou sem procedência. Há meses a região é ocupada por ambulantes não regularizados. A operação teve início na manhã desta quarta-feira (16) com uma reunião no Executivo e segue até o fim desta semana.

Diversos órgãos devem fiscalizar o comércio irregular e retomar o espaço público nas ruas do Centro da cidade - Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/ND
Diversos órgãos devem fiscalizar o comércio irregular e retomar o espaço público nas ruas do Centro da cidade - Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/ND


Este primeiro dia de operação contou com a presença de guardas municipais, fiscais da vigilância sanitária e da SUSP (Superintendência de Serviços Públicos), representantes do IGEOF e do PROCON municipal, além das policias Federal, Militar e Civil, e de órgãos estaduais e federais como Inmetro, IMEPPI, CECOP e receita estadual. Na reunião realizada na prefeitura de Florianópolis, foram dados os encaminhamentos da força-tarefa e cada órgão explicou sua função dentro da operação. Em seguida, fiscais, guardas municipais e outras equipes foram para as ruas do Centro para ocupar as ruas e calçadões e evitar a instalação destes comércios ilegais.

“A nossa participação é prestar apoio aos fiscais da prefeitura e à Guarda Municipal caso aconteça alguma situação de enfrentamento. A proposta desse trabalho integrado é justamente chegar com antecedência, fazer a ocupação do terreno para evitar este enfrentamento e poder fazer a fiscalização com calma”, explicou o comandante da PM, tenente-coronel Marcelo Pontes, em entrevista à RICTV Record. O camandante espera que a ordem seja mantida no Centro da cidade.

De acordo com a secretária de Segurança Pública, Maryanne Mattos, a ação une três frentes de trabalho: a fiscalização, a segurança pública e a assistência social. “Nossa intenção é mostrar que as regras devem ser cumpridas e que não vamos permitir esse comércio ilegal, que prejudica os comerciantes que pagam seus impostos. Ao mesmo tempo, oferecer a inserção no mercado de trabalho, para quem desejar, de forma correta e dentro da lei”, contou.

O trabalho de inclusão social visa conceder oportunidades de emprego formal, por meio do IGEOF, e cadastramento nos CRAs, para recebimento de bolsa família e outros benefícios. A Polícia Federal disponibilizou um intérprete para facilitar a comunicação com os estrangeiros, que falam francês.

Nesta sexta-feira, será realizado um balanço para avaliar os resultados da operação e definir quais serão os próximos passos.

Publicidade

4 Comentários

Publicidade
Publicidade