Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Obra na creche do Morro do Horácio será paralisada por erros no projeto

Problemas aumentaram o valor da obra, que já chegou ao limite máximo de aditivo. Capital tem déficit de 1.297 vagas, mas em determinadas regiões sobram quase 1 mil lugares na educação infantil

Michael Gonçalves
Florianópolis
17/08/2018 às 08H55

Das dez creches em construção na Capital, apenas cinco devem ficar prontas até março de 2019. Entre as que não se enquadram nessa programação está a obra da nova creche na comunidade do Ho­rácio, no Maciço do Morro da Cruz, que será interrompida até o fim do mês por problemas no projeto de execu­ção, que precisou ser modificado du­rante os trabalhos e elevou o preço a construção.

Con­forme o secretário-adjunto de Educa­ção, Luciano Formighieri, a previsão é que a obra atrase três meses e a nova creche, que seria concluída em julho, deve ser entregue apenas no final de 2019. Com a conclusão de todas as creches, a Prefeitura de Florianópolis prevê a criação de mais 1.120 vagas. O déficit de vagas hoje é de 1.297 crianças.

Projeto da creche do Morro do Horácio teve que ser alterado, por isso a obra só será concluída em dezembro de 2019 - Daniel Queiroz/ND
Projeto da creche do Morro do Horácio teve que ser alterado, por isso a obra só será concluída em dezembro de 2019 - Daniel Queiroz/ND


As 16.067 crianças na educação infantil de Florianópolis estão divi­didas em 101 prédios, mas apenas 79 são de propriedade do município. Isso porque 13 creches são unidades conveniadas e dez são consideradas vinculadas, porque funcionam em colégios municipais. Formighieri afirma que será obrigado a romper o contrato em função dos aditivos provocados em relação às reade­quações no projeto.

Por enquanto, oito funcionários trabalham na colocação do revesti­mento cerâmico. “O projeto inicial na administração passada não previu os recuos e, por isso, precisamos mudar o prédio de local dentro do mesmo ter­reno. Com a mudança, a fundação fi­cou sobre um olho d´água e a empre­sa precisou alterar os materiais e os custos, sem falar na falta das licenças. Assim, a obra já tem quase 40% do seu valor em aditivos e, por isso, vamos romper o contrato e, paralelamente, lançaremos uma nova licitação para finalizar a construção”, explica.

Afastada do emprego por pro­blema de saúde, Rosana de Fátima Ribeiro, 43 anos, aguarda uma vaga em creche para a filha Giovana, de um ano e meio, desde o ano passado. “Já coloquei o nome dela na lista de espera no ano passado e ainda estou aguardando ser chamada. Preciso que ela vá para a creche, porque te­nho de fazer o meu tratamento e, atu­almente, necessito que outras pessoas fiquem tomando conta dela”, diz a moradora do Horácio.

Rosana Ribeiro aguarda há um ano e meio vaga em creche para a filha Giovana - Daniel Queiroz/ND
Rosana Ribeiro aguarda há um ano e meio vaga em creche para a filha Giovana - Daniel Queiroz/ND


Sobram vagas, mas em lugares sem demanda

O secretário-adjunto de Educação, Luciano For­mighieri, informou que o planejamento é concluir as obras até o início do pró­ximo ano letivo em cinco unidades: Vila Aparecida, Capoeiras, Santa Vitória, Rio Tavares e Tapera. Ao todo, essas cinco unidades devem oferecer 1.120 no­vas vagas. Atualmente, o município tem 1 mil vagas abertas na educação in­fantil. “Assumimos o mu­nicípio com déficit de 3.800 vagas e reduzimos para 2.400, em 2017, e para 1.300, este ano, mas ainda temos quase 1 mil vagas abertas. O problema é que mesmo com a conclusão das cinco creches não conseguire­mos atender as demandas, porque as unidades não fo­ram planejadas onde havia mais necessidade, que é no Norte da Ilha”, ressalta.

Formighieri citou o complexo do Maciço do Morro da Cruz como exemplo, porque qua­tro unidades estão sendo construídas. Na região, a demanda reprimida é de apenas 400 crianças.

Execução das novas creches

  • Vila Aparecida: 93,55%
  • Red Park – MEC: 29,09%
  • Tapera: Execução: 60,44%
  • Morro do Céu: 44,92%
  • Caeira do Saco dos Limões: 56,79%
  • Rio Tavares: 47,73%
  • Ingleses: 46,41%
  • Santa Vitória: 70,31%
  • Morro do Horácio: 45,67%
  • Capoeiras: 82,21%

Déficit de vagas na educação infantil

  • 2011: 9.640
  • 2012: 8.955
  • 2013: 8.777
  • 2014: Não informado
  • 2015: 5.499
  • 2016: 3.872
  • 2017: 2.455
  • 2018: 1.297

Fonte: Secretaria de Educação de Florianópolis

Publicidade

4 Comentários

Publicidade
Publicidade