Publicidade
Sexta-Feira, 18 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 29º C
  • 24º C

Nova penitenciária em Imaruí será anunciada nesta terça pelo governador de SC

Nova estrutura no Sul do Estado terá capacidade para receber 1.200 presos em regime fechado

Fábio Bispo
Florianópolis
Daniel Queiroz/ND
Construção na Trindade tem 81 anos e apresenta problemas

 

Esperada ansiosamente pelos catarinenses, a construção de nova unidade prisional que deverá substituir, aos poucos, o atual Complexo Penitenciário da Trindade será anunciada nesta terça-feira (20) pelo governador Raimundo Colombo (DEM). A nova estrutura será construída na cidade de Imaruí, no Sul do Estado, onde foi realizada uma série de reuniões com a comunidade na última semana. O projeto original foi alterado e dividido em dois centros: presídio regional  e penitenciária.

A nova unidade de segurança máxima terá capacidade para até 1.200 presos. E deverá contar com tecnologia de ponta, como monitoramento completo com câmeras, barreiras bloqueadoras para celulares e torres de controle. A segurança na cidade, com a chegada de detentos, foi um dos principais pontos discutidos nas reuniões com os moradores.

Entre os dias 12 e 15 deste mês, técnicos e consultores do governo intensificaram as ações de apresentação do projeto. Cerca de 500 pessoas acompanharam as reuniões no Centro de Imaruí e nas comunidades Cangueri, Aratingaúba e Forquilha do Rio Duna. O terreno com área de 21 mil metros quadrados reservado para a construção da nova penitenciária fica na localidade de Sertão do Cangueri.

Segundo o prefeito Amarildo Matos de Souza, nas últimas reuniões os técnicos do governo manifestaram interesse em iniciar a instalação da unidade em Imaruí. “Foram feitos bastantes encontros para decidir a questão da penitenciária. A decisão está com o governo, estamos aguardando”, afirmou. Ontem,  Matos não quis confirmar se as negociações estavam fechadas. “O governador vai falar sobre o assunto”, limitou-se a dizer.

Município terá retorno em impostos

Imaruí era uma das cidades candidatas a receber a obra. O município terá, em troca da chegada dos detentos, o aumento na arrecadação de impostos. O incremento fiscal será garantido pela construção da obra e pelo recolhimento de ISS (Imposto Sobre Serviço), além de os gastos com os presos serem previstos para  o comércio local. Uma das promessas do governador Raimundo Colombo é intensificar os investimentos na cidade que receber a nova penitenciária.

Paralelamente às negociações com as possíveis áreas em Imaruí,  técnicos do governo também avaliaram terrenos nas cidades de Alfredo Wagner, Bom Retiro e Palhoça. Nenhuma das cidades foi descartada para receber novas unidades.

Segundo o coronel Pedro Abel, diretor de patrimônio da Secretaria de Administração e que liderava as a avaliação das áreas para a construção do novo complexo, o ideal é que o projeto original fosse separado em unidades. “O certo é que tenhamos unidades para presos provisórios e para presos  julgados”, explicou. Como o projeto original do novo complexo previa a criação de 2.200 vagas e o anunciado para Imaruí terá capacidade para receber no máximo 1.200 presos, não está descartada a hipótese de o governador anunciar a construção de outras unidades em outras cidades.

Desativação do complexo é discussão antiga

A transferência da Penitenciária da Trindade, na zona urbana de Florianópolis, é discutida há décadas. O debate se intensificou este ano com duas fugas em massa da central de triagem, de onde fugiram 174 detentos provisórios. O atual prédio, com 81 anos de construção, também apresenta problemas estruturais, que facilitam as fugas.

A nova estrutura contará com ambulatórios, escolas e oficinas dentro do complexo penitenciário. A promessa, segundo os dados apresentados às comunidades, é de que pelo menos 300 empregos diretos sejam criados imediatamente. São vagas de emprego para serviços gerais e para a administração da penitenciária.  Também está prevista a criação de  empregos indiretos no comércio e nas empresas locais que atenderão a demanda da unidade.

O gasto diário dos presos também entrou para os cálculos. Como cada preso gasta em média R$ 50 semanalmente, numa penitenciária com 1.200 apenados, esse valor pode chegar a R$ 52 mil por semana. Os dados foram apresentados à comunidade local pelo diretor do Deap (Departamento de Administração Prisional), Leandro Soares.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade