Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Nova ferramenta de ensino é lançada em Florianópolis em parceria com o Planeta. doc

A plataforma Planeta na Escola disponibilizará cerca de cem filmes para uso dos professores em sala de aula

Karin Barros
Florianópolis
10/11/2017 às 17H48

O festival Planeta doc. terminou na sexta-feira (10), mas suas ações nas escolas municipais e estaduais de Florianópolis serão permanentes. Foi lançada na manhã de sexta-feira, na Escola Municipal Henrique Veras, na Lagoa da Conceição, a plataforma Planeta na Escola, uma nova ferramenta de ensino. Junto ela também foi anunciado o concurso Planeta.doc Estudantes, que premia filmes de temática socioambiental com até um minuto de duração.

Plataforma Planeta na Escola  dispõe de cerca de cem filmes para ensino e discussão em classe - Daniel Queiroz/ND
Plataforma Planeta na Escola dispõe de cerca de cem filmes para ensino e discussão em classe - Daniel Queiroz/ND



No festival, que deu início em outubro na Capital, houve exibição de longas, debates e conferências a mostra, visando estender a discussão sobre a sustentação da vida no planeta, a fim de promover mudanças de olhares e paradigmas pré-estabelecidos, mostrando ideias que possam beneficiar a sociedade humana e a biodiversidade do planeta.

Escolas públicas de Florianópolis já estavam participando das ações de educomunicação desde o início do festival, em 15 de outubro, através das sessões do Dia do Planeta. Agora, a plataforma é uma extensão do projeto, mas dessa vez indo até as crianças e adolescentes que por algum motivo não puderam estar na ação anterior.

Por meio de um acervo com o melhor do cinema socioambiental, disponível on-line gratuitamente, professores poderão fazer a exibição de filmes em qualquer momento em suas aulas. São cerca de cem filmes, documentários e animações, que contribuem para a educação em disciplinas científicas diversas como biologia, física, química, história, geografia, economia e filosofia. Para a diretora do Planeta doc., Mônica Linhares, é preciso tocar os alunos pelo lado da emoção e abastecê-los com informações. “Criamos mais conhecimento dessa forma, ainda mais em uma época em que os jovens estão tão ligados ao audiovisual”, coloca ela, que levou um ano e meio para desenvolver o streaming.

Mônica Linhares, diretora do Planeta.doc: audiovisual conversa com os jovens - Daniel Queiroz/ND
Mônica Linhares, diretora do Planeta.doc: audiovisual conversa com os jovens - Daniel Queiroz/ND



Além de disponibilizar filmes gratuitamente, a plataforma permite que as práticas pedagógicas de utilização dos filmes em sala de aula sejam compartilhadas na área de professores, estabelecendo um banco de informações com os relatos e resultados das experiências e formando uma comunidade de aprendizagem. “Vamos trabalhar a cidadania juntos aos alunos, algo fundamental nos dias de hoje”, diz o diretor da escola, Roni Kampf..

Presença internacional 

Uma turma de adolescentes também pode conferir de perto os assuntos a plataforma irá abranger. Eles assistiram ao documentário “The Discarded: A Tale of Two Rios” (“Descartados”), da cineasta californiana Adrianne Hall, gravado no Rio de Janeiro. O filme de 19 minutos trata da poluição da Baía de Guanabara, parte do principal cartão postal carioca, o Cristo Redentor. “Estou super feliz de estar aqui e ver a reação deles. Quando a gente sente que pode mudar, acrescentar, para essas crianças, sente que pode mudar o futuro”, afirma Adrianne, que estava no lançamento por causa do festival.

Adrianne Hall, cineasta californiana, do filme “Descartados”, que está na plataforma - Daniel Queiroz/ND
Adrianne Hall, cineasta californiana, do filme “Descartados”, que está na plataforma - Daniel Queiroz/ND



A ação tem apoio da Secretária Municipal de Educação e da FFC (Fundação Franklin Cascaes). Roseli Maria da Silva Pereira, superintendente da FFC, afirma que é de extrema importância trabalhar políticas transversais por meio de outras linguagens. “A plataforma vem para completar o assunto de sala de aula, levar o respeito à natureza para as crianças, vendo o audiovisual como um mecanismo de repasse de conhecimento”, explica.

O concurso Planeta.doc Estudantes está em sua terceira edição, e vai premiar as histórias sobre sustentabilidade e relação com a natureza, quee podem ser reais ou de ficção.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade